https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2019/11/grilagem.png

OPERAÇÃO AGUAPEY

Organização criminosa dividia terras antes de tomar posse, afirma PF

João Vieira

Materiais apreendidos pela Polícia Federal mostram como era organizado esquema de grilagem e divisão de terras nas propriedades rurais na fronteira de Mato Grosso com a Bolívia. O material foi apreendido a a Operação Aguapey, na manhã desta terça-feira (6)

Na imagem é possível ver  um mapa de loteamento de uma fazenda localizada em Porto Esperidião (a 322 km de Cuiabá) onde os criminosos tentavam expulsar o proprietário. Mesmo antes de tomar posse, os criminosos já dividiam e organizavam a distribuição dos lotes.

Consta na investigação, que a organização criminosa usava violência e grave ameaça contra as vítimas. Além disso, são investigados por crimes de homicídios, consumados e tentados, tortura, receptação de veículos roubados e diversos delitos ambientais.

Para se ter uma ideia, uma das vítimas, que é propietária de uma fazenda, teve a casa destruída com um trator. Ela estava resistindo às ameaças. Em razão da permanência, familiares dela foram alvejados enquanto circulavam pelo local.

“Foi identificado ainda que uma parte dos integrantes da ORCRIM almejava criar um local (lote grilado) para recebimento e distribuição de entorpecentes oriundos da Bolívia por meio de “mulas”, assim como esconder veículos roubados no Brasil antes de serem remetidos ao exterior”, explicou a PF.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 8 de novembro de 2019 às 08:56:05
  • 7 de novembro de 2019 às 08:20:40