https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2020/01/20190619143840233129e.jpg

ROMPIMENTO

Após contratação de Bruno, Operário perde cota comercial

Reprodução

Na manhã desta segunda (20), a cooperativa Sicredi informou a retirada do patrocínio para o clube Operário de Várzea Grande, após o goleiro Bruno Fernandes, condenado por feminicídio, conseguir o aval para se mudar para MT e ser contratado pelo clube.

Conforme relatos da assessoria da cooperativa, assim que confirmada a contratação, a cooperativa retirou o  investimento do time, mas continua patrocinando o campeonato Mato-Grossense.

A contratação do goleiro não agradou nem um pouco a população, em posts de Facebook torcedores relataram seu descontentamento com o clube. O Conselho Estadual dos Direitos da Mulher de Mato Grosso (CEDM/MT) emitiu uma nota de repúdio,no dia 9 de janeiro, dizendo que alguém que foi condenado pelo crime de homicídio tem o direito a recomeçar a vida, inclusive profissional, mas não ocupar uma posição em que deve ser tratado como ídolo.

A nota ainda ressalta que na época do crime o jogador foi condenado pelos crimes de homicídio, ocultação de cadáver, sequestro e cárcere privado.

O Crime:

No ano de 2009, o goleiro foi condenado pela morte da mãe de seu filho, Eliza Samudio. Bruno sequestrou Eliza, assassinou e ocultou o corpo. Em 2013, foi condenado a 20 anos e 9 meses de prisão.

Até hoje as autoridades não descobriram onde estão os restos mortais de Eliza Samudio. Atualmente Bruno cumpre pena no regime semi-aberto.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 20 de janeiro de 2020 às 16:03:16
  • 20 de janeiro de 2020 às 15:56:48