https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2017/12/WhatsApp-Image-2017-12-02-at-08.52.26-e1512250654592.jpeg

RESSOCIALIZAÇÃO

Presidente da Abracrim/MT diz ser a favor de Bruno Fernandes jogar no Operário/VG

Arquivo Pessoal

A presidente da Associação Brasileira dos Advogados Criminalistas de Mato Grosso (Abracrim), Michelle Marie, diz ser a favor da vinda do goleiro Bruno Fernandes para jogar no Operário de Várzea Grande.

Ela entende que se o atleta teve uma oportunidade de trabalho, ele deve ser inserido para que possa ser ressocializado.

A Abracrim, recentemente, lançou uma campanha a favor da ressocialização do reeducando.

Em texto assinado pela própria Michelle Marie, ela diz que quando esse direito à ressocialização é retirado o reeducando é estimulado a reincidência.

ABRACRIM/MT INICIA CAMPANHA PELO DIREITO DE RESSOCIALIZAÇÃO

O processo de ressocialização visa reeducar pessoas privadas da liberdade para se adequarem às condições e leis da sociedade, o sujeito cumpre a penalidade imposta pela infração e desajuste social cometido e gradualmente deve ser reinserido em sociedade, oportunizando a este uma nova chance de convívio harmônico.

Ocorre que a sociedade e o Estado exigem que o preso saia e recomece a vida longe do crime, porém não admite e nem lhe oportuniza meios para que consiga sobreviver em um mundo capitalista, assim poucos durante o regime fechado conseguem aprender algum oficio, são rejeitados em progressão onde devem trabalhar e assim serem verdadeiramente úteis.

A verdade é que a sociedade e o Estado exigem um resultado, mas não contribuem.
Pelo trabalho dignifica-se o homem, pelo trabalho e estudo cria-se real perspectiva de reinserção e utilidade social.

Quando se retira uma oportunidade alheia, retira-se também o próprio direito de convívio harmônico e estimula-se a reincidência.

VISÃO CONTRÁRIA

A visão de Michelle Marie contraria a opinião da procuradora e presidente do Conselho de Defesa da Mulher, Gláucia Amaral, que liderou um protesto, na noite desta terça-feira (21), no estádio Dito Souza, onde o Operário de Várzea Grande fez sua estreia no Campeonato Mato-grossense enfrentando o Poconé.

Segundo Amaral, o retorno de Bruno ao futebol não representa o “instituto da ressocialização”.

“Não estamos falando de nova chance. Eu fico muito triste de ver o instituto da ressocialização, que é tão precioso para as pessoas que estão hoje nas nossas cadeias públicas ser utilizado para falar de uma pessoa que não fala de ressocialização, mas na recuperação de glamour, em ter uma vida glamorosa”, colocou.

Bruno Fernandes foi condenado em 2013 pela morte da ex-amante Eliza Samúdio. O crime ocorreu no ano de 2010 e, desde então, o corpo dela não foi localizado.

A repercussão da sua vinda para Mato Grosso já trouxe prejuízos ao Operário. Antes mesmo de vestir a camisa do tricolor, duas empresas já retiraram o patrocínio do clube.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 22 de janeiro de 2020 às 18:58:12
  • 22 de janeiro de 2020 às 13:06:07