https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2017/03/Presidente-do-TCE-MT-Antonio-Joaquim-05.jpg

"JURISTAS PELO MUNDO"

Ministério Público abre investigação contra conselheiro afastado do TCE por pagamento de diárias internacionais

Assessoria

O promotor de Justiça Clóvis de Almeida Júnior, da 36ª Promotoria de Justiça Cível da Comarca de Cuiabá, abriu um inquérito civil para apurar um suposto ato de improbidade administrativa contra o conselheiro afastado do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Antonio Joaquim Moraes Rodrigues Neto, em decorrência de pagamento de diária.

A investigação foi aberta no dia 19 de janeiro e apura porque Antonio Joaquim teria recebido o pagamento de dez diárias extraordinárias em evento realizado na Europa (Juristas pelo mundo), no ano de 2015.

Segundo o MPE, o encontro teria durado apenas três dias. O inquérito deve ter duração de um ano.

AFASTADO PELA MALEBOLGE

Antonio Joaquim e os outros conselheiros titulares, Valter Albano, José Carlos Novelli, Waldir Júlio Teis e Sérgio Ricardo de Almeida,  estão afastados do cargo, em decorrência da Operação Malebolge, deflagrada pela Polícia Federal, no dia 14 de setembro de 2017, por determinação do Supremo Tribunal Federal.

Os conselheiros foram citados pelo ex-governador de Mato Grosso, Silval Barbosa, como beneficiários de um suposto esquema de corrupção durante a gestão do ex-emedebista.

No depoimento, o ex-governador afirmou que os conselheiros exigiram propina para não prejudicarem o andamento das obras da Copa do Mundo e do MT Integrado, este último avaliado em R$ 1,5 bilhão.

Segundo Silval, o valor pago de propina teria sido de R$ 53 milhões.

Os conselheiros negam que tenham cometido qualquer ato ilícito.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 23 de janeiro de 2020 às 12:57:56
  • 23 de janeiro de 2020 às 12:54:15