TABULEIRO DA DISCÓRDIA

Ano inicia quente com embate entre Mauro Mendes e Emanuel Pinheiro

DA REDAÇÃO / LEONARDO MAURO
[email protected]

Em seu primeiro ano de mandato no Governo de Mato Grosso, Mauro Medes (DEM), protagonizou um dos embates entre poderes mais quentes da política mato-grossense. Já o Prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), não ficou atrás e as trocas de farpas estão sendo constantes.

Os principais líderes do executivo municipal e estadual trocaram farpas no ano interior, e o início deste 2020 não poderia ser diferente.

O tabuleiro de xadrez está com as peças em modo de ataque com a aproximação de duas eleições importantes em um ano.

O pinga fogo iniciou com uma entrevista que o governador deu ao programa de rádio Vila Real, do Grupo Gazeta, na manhã de sexta-feira (24).

Demonstrando irritação com as perguntas, o chefe do executivo estadual não poupou de críticas o comandante do Alencastro.


“Não quero ficar entrando em debate com o prefeito. Ele terá que explicar muita coisa para população nesse ano que teremos eleição. Não sei se ele será candidato, mas nessa época, as falsas verdades vêm à tona ele terá que explicar os escândalos que estão pipocando na prefeitura”, disse.


Já o prefeito Emanuel não gostou nada do que ouviu pela rádio, e emitiu uma nota pública, na mesma tarde de sexta-feira (24), dizendo que o governador faz ataques pessoais. E para rebater as críticas feitas pelo governador alfinetou.


“…Menino rico e mimado que quer mandar no jogo, mas esquece de combinar com a torcida […] Com a perspectiva da inauguração do HMC Mauro ventilou a notícia de que não iria comparecer, por não gostar de inaugurações. Lembram disso? Mas aí a cidadania cuiabana resgatou fotos dele inaugurando até parada de ônibus em posto de gasolina…”, devolveu Pinheiro.


Quem entrou no tabuleiro da discórdia, nesta segunda-feira (27), foi a secretária Estadual de Educação, Marioneide Kliemaschewski, que escreveu oartigo;‘Educação sem oportunismo do prefeito’, em resposta a um outro artigo do prefeito; Uma solução cuiabana para o Nilo Póvoas, em que o emedebista “tomou a decisão, de requerer ao Governo do Estado de Mato Grosso a cessão da unidade física da Escola para a Prefeitura Municipal de Cuiabá”, enfurecendo Kliemaschewski.


Em seu artigo, ela diz: “Foi com sentimento de indignação que fiz a leitura de um “artigo” escrito pelo prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, na última semana, no qual ele sugere que o Estado ceda a Escola Estadual Nilo Póvoas para a gestão municipal, de forma a transformá-la em uma creche”.


Este não é o desfecho e nem o xeque-mate do tabuleiro, que de um lado tem o governado MM como os poderes de rainha (peça mais forte do jogo), e do lado municipal, o prefeito EP detendo os mesmos poderes, agora esperamos qual vai ser a próxima peça a fazer sua jogada.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *