https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2017/12/DSCF5202-e1585162501504.jpg

DIPLOMACIA

OAB-MT avalia riscos para economia do Estado após rusga diplomática entre Brasil e China

GCOM

Os desdobramentos da rusga diplomática criada pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro com a Embaixada da China no Brasil estão sendo acompanhados pela Comissão de Direito Internacional da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Mato Grosso (OAB-MT).

Na última semana, o parlamentar atribuiu à China a responsabilidade pela pandemia do coranvírus. Ele também acusou o país de omitir informações sobre a doença (Convid-19) e comparou o caso ao desastre radioativo de Chernobyl.

Ao longos dos últimos dias as declarações foram duramente criticadas em postagens nos perfis do embaixador chinês, Yang Wanming, e da própria embaixada chinesa.

Diante da situação, o presidente da comissão, Elvis Antônio Klauk Júnior, explica que a briga pode trazer consequências econômicas ao Brasil e a Mato Grosso, uma vez que a China é maior parceira comercial do país e do Estado.

“Para Mato Grosso conflitos do tipo são extremamente prejudiciais. Só para se ter uma ideia, entre janeiro e junho de 2019 as exportações para lá corresponderam a 39% do total, considerando os principais produtos: soja, milho, carne e algodão.”

Na manhã desta terça-feira (24), o presidente Jair Bolsonaro usou sua conta em uma rede social para comunicar que conversou por telefone com o presidente chinês, Xi Jinping, reafirmando os “laços de amizade” do Brasil com a China.

“Estamos atentos aos rumos que isso pode tomar. O momento é sensível, pessoas estão morrendo e esperamos que as autoridades percebam a gravidade e ajam racionalmente e rápido. Não é hora para polêmicas, mas para união e cooperação”, finaliza Elvis Antonio Klauk Júnior.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *