https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2020/04/41320793225_04967f3ef8_o_xrzFo0S.jpg

ALVO ATLETICANO

Róger Guedes segue no Brasil e não tem prazo definido para retorno à China

GLOBOESPORTE.COM/FREDERICO RIBEIRO
redacao@matogrossomais.com.br

Pedro Souza / Atlético

Enquanto o Brasil continua o enfrentamento da pandemia da COVID-19, a China, onde o novo coronavírus foi descoberto, começa uma retomada de “vida normal” após o controle do vírus.

O futebol por lá, inclusive, tem retorno de treinamentos previsto para as equipes. Por outro lado, alguns jogadores estrangeiros seguem de quarentena. É o caso de Róger Guedes, alvo do Atlético-MG no mercado.

O atacante está no Brasil e, antes do processo de isolamento social para evitar a explosão de casos no país, mantinha a forma física no Criciúma, clube que o revelou.

O Atlético chegou a iniciar negociações para repatriar o camisa 23, já que Guedes e outros jogadores tentavam “fugir” do solo chinês com possível volta ao Brasil. Mas todas as tratativas foram congeladas por conta da COVID-19.

O Shandong Luneng, assim como os outros clubes de elite no futebol chinês, não atuou oficialmente ainda em 2020. Fez um amistoso e, agora, se prepara para o retorno da temporada. Há jogadores brasileiros que estão na China, mas em quarentena, afastados das atividades do dia a dia.

No caso de Guedes, segundo o GloboEsporte.com, a orientação é que ele permaneça no Brasil até porque há fechamento de voos internacionais, saindo de países que lidam com a pandemia para aterrissarem na China.

De qualquer forma, o Atlético vê a possibilidade de contratar Róger Guedes como distante. Primeiro por conta da desvalorização do real; segundo porque o momento, agora, é de o Brasil estar no combate à pandemia, quando a situação na China está menos perigosa.

Por último, a janela internacional do Brasil realmente fechou à meia-noite desta sexta-feira e só reabrirá – salvo decisão da Fifa – em julho.

Além de Róger Guedes, o Shandong tem como jogadores estrangeiros o brasileiro Moisés (ex-Palmeiras) – que inclusive estava em Belo Horizonte e retornou para a China em processo de isolamento completo -, além do belga Fellaini (que testou positivo para a COVID-19) e do atacante italiano Graziano Pellè. A programação do Shandong era se apresentar em janeiro na China, fazer pré-temporada e depois continuar os treinos em Dubai.

O Campeonato Chinês começaria em 28 de fevereiro, e foi adiado sem prazo de retorno.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *