https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2020/05/thumbs3.jpg

INQUÉRITO DO PALETÓ

CPI que investiga o Prefeito Emanuel Pinheiro faz primeira reunião remota

Reprodução

Na manhã desta quarta-feira (06), a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) instaurada pela Câmara Municipal de Cuiabá para investigar o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), fez sua primeira reunião virtual após a declaração de pandemia do Novo Coronavirus, marcada pela suspensão das atividades presenciais no legislativo cuiabano, de acordo com  a Portaria Nº 191/2020, publicada no dia 16 de março.

O presidente da CPI, vereador Marcelo Bussiki (DEM), abriu a reunião procedendo a leitura do mandado de intimação judicial comunicando que foi concedido ao senhor Valdecir Cardoso de Almeida, o direito de comparecer ou não à oitiva agendada para ocorrer durante a reunião da comissão desta quarta-feira.

Diante da ausência de Valdecir, Bussiki afirmou que irá entrar com recurso contestando essa decisão judicial, tendo em vista que o convocado foi citado na condição de testemunha e não de investigado. Obtendo êxito em seu pleito, o vereador declarou que a oitiva será redesignada para outra data.

Dando continuidade à pauta da reunião, o presidente se dirigiu aos demais membros da comissão, vereadores Toninho de Souza (PSDB) e Sargento Joelson (Solidariedade), relator e membro respectivamente, para colocar em votação os requerimentos apresentados pelos parlamentares e pelos próprios membros da CPI.

O primeiro requerimento colocado em apreciação solicita a convocação do ex-deputado e ex-presidente da Assembléia Legislativa de Mato Grosso, José Geraldo Riva. A convocação foi requerida pelos vereadores Marcelo Bussiki (DEM), Diego Guimarães e Felipe Wellaton, ambos do partido Cidadania, sob a justificativa de que o ex-governador Silval Barbosa citou durante o seu depoimento junto à CPI, a suposta existência de um mensalinho pago a deputados estaduais que apoiavam os projetos de interesse do executivo estadual. Na ocasião, Silval afirmou que esse pagamento era coordenado por Riva e que teria favorecido o atual prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, que exercia o mandato de deputado estadual naquela época. O requerimento foi aprovado com o voto contrário do vereador Toninho de Souza.

O segundo requerimento lido e aprovado pela comissão, de autoria do vereador Marcelo Bussiki, convoca o perito judicial Alexandre Peres, responsável pela transcrição do áudio encontrado na casa do prefeito Emanuel Pinheiro, durante o cumprimento de um mandado de busca e apreensão feito pela Polícia Federal em setembro de 2017. A justificativa apresentada pelo autor, deve-se ao fato da divergência registrada entre a transcrição do áudio de autoria do requerido e a transcrição realizada pela Polícia Federal.

Também foi aprovada a convocação de Cleberson “Coxinha”, amigo de Silvio Cesar, ex-chefe de gabinete de Silval Barbosa, que foi o responsável pelo transporte de Alan Zanata, do aeroporto Marechal Rondon até a casa de Silvio, ocasião em que houve a gravação do áudio que vem sendo objeto de investigação da CPI, por entender que caracterizou uma tentativa de obstrução da justiça, como forma de beneficiar o atual prefeito.

Foi aprovado pela comissão o requerimento que dispõe sobre a convocação de Marcos Pólo Freitas Pinheiro, conhecido como “Popó”, irmão do prefeito da Capital, que é proprietário de um instituto de pesquisas em Cuiabá. O requerimento teve como justificativa, a necessidade de esclarecer o suposto pagamento de pesquisas por intermédio de recursos repassados por Silvio Cesar diretamente a Emanuel Pinheiro. A proposição também teve o voto contrário do vereador Toninho de Souza.

Outro requerimento votado e aprovado pelos membros da comissão parlamentar durante a reunião ocorrida nesta quarta-feira foi apresentado pelo vereador Toninho de Souza.  Trata-se da revalidação dos documentos já produzidos pela própria CPI, na formação anterior, promovendo a sua ajuntada aos trabalhos atuais. O mesmo requerimento ainda prevê o envio de um pedido oficial por parte da Comissão Parlamentar de Inquérito da Câmara Municipal de Cuiabá, para obter o compartilhamento de documentos e informações junto ao Ministério Público do Estado (MPE), Procuradoria Geral da República (PGR), Polícia Federal (PF) e Justiça Federal, que tratem de inquéritos ou processos correlatos à investigação em curso no legislativo cuiabano. Destacando-se que a delação do ex-governador Silval Barbosa já foi ajuntada aos autos da CPI.

Mais dois requerimentos foram aprovados, sendo um de autoria do vereador Luis Cláudio que solicita a apresentação do parecer do Ministério Público Federal sobre a possível obstrução da justiça na investigação em questão, e outro de autoria dos vereadores Diego Guimarães, Felipe Wellaton e Abílio Junior, solicitando o envio para o Conselho Superior de Justiça e Conselho Nacional do Ministério Público, a cópia de atas e vídeos das reuniões da CPI.

Os membros da comissão parlamentar de inquérito definirão as datas das próximas oitivas durante reunião interna que será agenda brevemente.

Câmara Municipal de Cuiabá

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *