https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2020/04/8ecddb88a5dd4ca5b02ee9a70a7ce86f_comercio_varzeagrande-768-c-90-1.png

DADOS SEFAZ

Economia de MT seguiu com baixo desempenho após Dia das Mães

A economia de Mato Grosso segue com desempenho abaixo dos valores que eram registrados antes da pandemia do novo coronavírus. As vendas formais registradas entre 11 a 15 de maio foi de -14%, se comparadas com o nível pré-crise, segundo boletim semanal da Sefretaria de Estado de Fazenda (Sefaz).

Antes, Mato Grosso comercializava semanalmente R$ 1,299 bilhão, nesta semana a comerciação foi de R$ 1,123 bilhão, uma redução de 14% no volume tributável. Na semana anterior (entre 4 e 8 de maio) a redução havia sido de 12%, mesmo sendo pior que a semana anterior a redução não é a pior semana da crise já que entre os dias 06 e 10 de abril houve uma retração de 33% da economia, se comparado ao período pré-crise.

A região Norte de Mato Grosso foi a responsável por R$ 361 milhões em vendas no período, seguido do Sul do estado com R$ 258 milhões, a Região Metropolitana e Baixada Cuiabana por R$ 201 milhões, R$ 124 milhões a região Noroeste, R$ 109 milhões a região Leste e R$ 69 milhões a região Oeste do estado.

Leia também – Alimentos vencidos abarrotam depósito de Secretaria de Estado

Cuiabá é a cidade mais afetada pela crise do novo coronavírus, a economia da capital teve retração diária de R$ 33,4 milhões, em Rondonópolis as vendas caíram R$ 23,2 milhões por dia e a queda foi de R$ 20,7 milhões ao dia em Sorriso.

A agropecuária movimentava R$ 465 milhões antes da crise, mas na semana analisada movimentou R$ 379 milhões. Houve uma recuperação da indústria no estado, antes o setor comercializava R$ 233 milhões, no auge da crise comercializou R$ 160 milhões e na última semana comercializou R$ 231 milhões, ou seja, apenas 1% abaixo do que comercializava anteriormente.

O setor de comércio e serviços tinham volume de venda de R$ 600 milhões antes da crise, segue em recuperação lenta e na semana analisada comercializaram R$ 513 milhões, uma redução de 15% no volume de vendas do período pré-crise. As lojas de departamento e magazines venderam 92% a menos que no período pré pandemia.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 23 de maio de 2020 às 20:24:56