https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2020/06/Sem-título-2.png

TROCA DE FARPAS

Mauro irrita com a falta de respostas de E.P: ”incoerente”

olhar direto

Durante o evento de assinatura de ordem de serviço para retomada da construção da Escola Técnica Estadual de Cuiabá, nesta segunda-feira (1), o governador Mauro Mendes (DEM)  criticou mais uma vez o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) e diz estar indignado com a forma que a prefeitura vem trabalhando no combate à Covid-19.

Segundo Mendes, Emanuel segue com ”conversa fiada” e não respondeu o que ele fez com os R$ 42 milhões que a capital teria recebido do Ministério da saúde. A fala do governador faz critica após Emanuel Pinheiro se pronunciar sobre o assunto em uma live da semana passada, onde Pinheiro fez críticas e contra-atacou o democrata. Mendes também questionou onde estariam os leitos construídos por Cuiabá nos últimos 90 dias.

 “Eu não quero saber de conversa fiada. Quero saber o que a prefeitura fez com os R$ 42 milhões e qual leito novo de UTI que o prefeito criou em Cuiabá. Porque o Estado diz isso objetivamente. Em março deste ano nós tínhamos 40 UTIs na mão do Estado de Mato Grosso. Hoje nós abrimos mais 50 UTIs novas na Santa Casa, mais 30 UTIs novas no Hospital Metropolitano e vamos abrir mais 30. O Estado de Mato Grosso, somente em Cuiabá e Várzea Grande, vai abrir pouco mais de 110 leitos novos, além daqueles 40 que já existiam”, disse o governador, explicando que os ataques do prefeito, são desculpas para ele não responder sobre a criação de leitos.

 

Para o governador, o prefeito da capital vem fugindo da discussão central e não responde aonde foi desenvolvido os leitos de UTI com o dinheiro aplicado pelo Ministério da Saúde.

“Tudo isso que ele fala é para fugir desta discussão central. Mas onde estão os leitos de UTI. O que ele fez com os R$ 42 milhões. Como ele não consegue responder isso objetivamente, começa a criar esse jogo de palavras. Estou cobrando sim o prefeito, onde estão os leitos que ele abriu nesses últimos 90 dias? Eu tenho um documento deste fim de semana que aponta que eles se recusaram a receber pacientes porque estava faltando ventilador e EPI. Isso, eu como cidadão, governador e ex-prefeito de Cuiabá, me deixa profundamente irritado, pois vemos muita conversa fiada e pouco resultado”, disse.

O governador ainda chamou Emanuel Pinheiro de incoerente, por conta da reabertura do comércio.

“Quando tinha um caso só ele mandou fechar tudo. Agora que temos mais de 700 casos ele manda abrir. É muita incoerência. Mas o importante é o que o Governo do Estado está fazendo, seguindo a recomendação da OMS, que é não faltar leito de UTI para atender a população”, afirmou.

Desde 2019, o prefeito e o governador, vem apresentando péssimo relacionamento, entraram na briga por causa do combate ao Covid-19 nas últimas semanas, após Mendes acusar Pinheiro de fechar 40 leitos de UTI em Cuiabá.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 2 de junho de 2020 às 15:17:37
  • 2 de junho de 2020 às 14:54:30