https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2020/06/029d18365b3d0a8a99ec10b10ceeb228.jpg

APÓS 3 NOVAS MORTES

MP aciona Justiça para “confiscar” UTIs de hospitais particulares em MT

Um defensor público federal, dois defensores públicos estaduais e quatros promotores de Justiça que trabalham na região Oeste de Mato Grosso, ingressaram com uma ação civil pública (ACP) conjunta, com pedido liminar, requerendo a internação de todos os pacientes regulados pelo Escritório Regional de Cáceres para tratamento da Covid-19 e Síndrome Respiratória Aguda em hospitais particulares de Cuiabá ou de demais municípios, quando não houverem vagas em leitos públicos.

A medida foi adotada após confirmação de que três pacientes já morreram por negligência do Estado.

Para o cumprimento do pedido, eles requerem na ação que o Estado apresente semanalmente a lista com os nomes das pessoas reguladas e efetivamente transferidas para leitos de UTI’s particulares.

O documento consta assinado pelos promotores de Justiça Rinaldo Segundo (Cáceres), Mariana Batizoco Silva Alcântara (Araputanga), Samuel Telles Costa (Vila Bela da Santíssima Trindade);o defensor público federal Pablo Farias Souza Cruz; e os defensores públicos estaduais Saulo Fanaia Castrillon e Thais Cristina Ferreira Borges.

Na ação, consta que a região Oeste é composta por 22 municípios e aproximadamente 320 mil pessoas, tendo como polo o município de Cáceres.

Na região existem apenas dois hospitais que lidam com alta complexidade. “Importante esclarecer que essa imensa população dispõe de apenas cinco leitos para o tratamento do Novo Coronavírus – Covid-19, estando todos os leitos, praticamente todos os dias, lotados, conforme provam Boletins Diários do Estado de Mato Grosso relativo à pandemia do Novo Coronavírus”, acrescentaram.

De acordo com as informações colhidas na investigação, eles afirmam que “o Estado de Mato Grosso não vem prestando ao cidadão da região Oeste a necessária proteção ao direito constitucional e legal à saúde, e também o direito à vida da pessoa humana”.

“Considerando a atual situação, que a Justiça Divina proteja a região Oeste se Vossa Excelência (o magistrado) não deferir a tutela antecipada. Os números poderão não ser apenas de três pessoas mortas por falhas na regulação, hoje ou amanhã. Os números poderão ser maiores”, alertaram os autores da ação.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 15 de junho de 2020 às 20:15:16