https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2020/06/7339_4C597A09E56DC7F3.jpg

EX-MINISTRO

Weintraub deixou o país e chegou na manhã deste sábado a Miami, diz assessoria do MEC

Carolina Antunes - 09.abr.2019/PR

A assessoria do Ministério da Educação informou que o ministro Abraham Weintraub chegou na manhã deste sábado (20) a Miami, nos Estados Unidos.

Pouco antes, o irmão do ministro, Arthur Weintraub, assessor especial da Presidência da República, já havia publicado mensagem em rede social na qual afirmava que ele havia deixado o país: “Obrigado a todos pelas orações e apoio. Meu irmão está nos EUA”.

Em um vídeo ao lado do presidente Jair Bolsonaro, Weintraub anunciou na última quinta-feira (18) que deixou o governo e assumirá um cargo de diretor no Banco Mundial. Embora a demissão tenha sido anunciada, a exoneração do ministro ainda não foi publicada no “Diário Oficial da União”.

Como ministro de Estado, Weintraub tem passaporte diplomático, o que facilita o acesso a outros países, mesmo com as restrições motivadas pela pandemia de coronavírus.

O ministro é investigado em inquérito que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF) e apura a disseminação de fake news e ameaças a ministros do tribunal. Em reunião ministerial em 22 de abril, Weintraub afirmou: “‘Eu, por mim, botava esses vagabundos todos na cadeia, começando no STF”.

Weintraub foi incluído no inquérito pelo relator, ministro Alexandre de Moraes, em razão das ofensas ao Supremo. O ministro da Justiça e Segurança, André Mendonça, recorreu da inclusão de Weintraub no inquérito mas, na quarta (17), por 9 votos a 1, o STF rejeitou o pedido.

Nesta sexta-feira (19), o senador Fabiano Contarato (Rede-ES) pediu ao STF a apreensão do passaporte Abraham Weintraub e que ele fosse proibido de sair do país.

No documento, endereçado ao ministro e relator Alexandre de Moraes, o parlamentar argumentou que, como investigado no STF, Weintraub não poderia se ausentar do país.

“O investigado possui notável papel de liderança na incitação de grupos de ódio. Basta lembrar que foi carregado por apoiadores ao prestar depoimento exatamente sobre os fatos objeto do presente inquérito. Assim, não há razão para crer que a conduta no exterior – fora da jurisdição desse Tribunal – será diferente”, diz trecho do pedido de Contarato.

Deputados do PT também pediram nesta sexta (19) a retenção do passaporte de Abraham Weintraub. O pedido também foi endereçado ao ministro do STF Alexandre de Moraes. Assinam o documento os deputados Rogério Correia (PT-MG), Padre João (PT-MG), João Daniel (PT-SE), Alencar Santana (PT-SP) e Paulo Pimenta (PT-RS).

Os parlamentares argumentam que a saída de Weintraub do país poderá dificultar o andamento das investigações.

“Ele pode muito bem, a pretexto do serviço que prestar, fugir do Brasil com os crimes que ele está cometendo. A prisão dele é uma possibilidade real, depois que ele disse que iria prender ministros do Supremo e chamou os ministros duas vezes de vagabundos”, disse o deputado Rogério Correia, em entrevista à Radio Itatiaia nesta sexta (19).

A indicação de Weintraub como representante do Brasil no Banco Mundial também motivou reações.

Uma carta assinada por 15 associações e mais de 130 personalidades de diversas áreas pediu a embaixadores de oito países no Brasil que se posicionem contra a indicação de Abraham Weintraub.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 20 de junho de 2020 às 14:28:03