https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2020/07/pedro22.jpg

DISTRITO FEDERAL

Jovem picado por Naja tem necrose e lesões no coração

O quadro clínico do estudante Pedro Henrique Santos Krambeck Lehmkul, picado por uma cobra Naja kaouthia de estimação, é considerado grave.

A região do ataque do animal, no braço esquerdo, necrosou. Além disso, marcadores de necrose miocárdica estão elevados – ou seja, a lesão do coração do jovem de 22 anos é grande.

Pedro continua internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Maria Auxiliadora, no Gama. Nesta quinta-feira (9/7), o Metrópoles apurou alguns detalhes do tratamento do rapaz.

A área da necrose no braço ainda não foi operada devido a uma conjuntura clínica.

Um complicador é o choque anafilático que Pedro sofreu. A espécie de reação alérgica mudou o protocolo de uso do soro antiofídico para conter os efeitos do veneno da cobra — considerado um dos mais letais do mundo.

Pedro está intubado por causa do quadro de insuficiência respiratória. A equipe médica está tratando o universitário com noradrenalina, medicamento para manter a pressão arterial. Antes, ele passou por hemodiálise. Ocasionalmente, o veneno ofídico tende a prejudicar a função renal.

Oficialmente, o Hospital Maria Auxiliadora não divulga boletim médico do jovem, a pedido da família, mas informa que ele “está reagindo aos tratamentos”. A unidade médica ressalta que nenhum médico está autorizado a repassar informações.

Pedro mora na QE 40 do Guará 2 e criava a naja como animal de estimação, apesar de a serpente não ser natural de nenhum habitat brasileiro. O jovem é estudante de medicina veterinária. Ainda não se sabe as circunstâncias do acidente com a cobra. O rapaz foi picado na última terça-feira (7/7).

A família do jovem importou dos Estados Unidos doses de soro antiofídico. A busca pelo soro — tão raro no Brasil quanto a presença desse tipo de serpente — mobilizou especialistas. As únicas doses disponíveis no país estavam no Instituto Butantan, em São Paulo. Os médicos enviaram ao Distrito Federal todo o estoque disponível.

ENTENDA O CASO

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 9 de julho de 2020 às 18:14:03