https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2020/07/Screen-Shot-2020-07-31-at-12.13.04-PM.jpg

VEJA O DEPOIMENTO

Adolescente detalha como ocorreu o disparo contra a amiga no Alphaville

Foto: Reprodução / Hipernotícias

A adolescente, de 14 anos, autora do disparo, supostamente, acidental que resultou na morte de Isabele Guimarães Ramos, com um tiro na cabeça, prestou depoimento apresentando sua versão sobre o fato. O vídeo foi obtido pelo Hipernotícias.

De acordo com o vídeo, a menor além de relatar sua versão, simula com duas armas descarregadas, como ocorreu o disparo.

A oitiva citada foi realizada no dia 14 de julho e presidida pelo delegado Olímpio da Cunha Fernandes, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa que à época investigava os fatos.

A adolescente estava acompanhada de sua mãe, seu pai, o empresário Marcelo Martins Cestari, 46 anos, e do então advogado da família, Rodrigo Pouso, a menor contou à autoridade por 20 minutos tudo o que aconteceu no dia 12 de julho na mansão da família.

De acordo com o depoimento, a filha de Cestari conta que após o jantar, ainda no dia 12, Isabele subiu ao seu quarto. Diante disso, a jovem, que estava prestando depoimento, disse que foi ao cômodo saber o que que a amiga estava fazendo.

“Meu pai pediu para alguém subir com o case, eu subi com ele (o case). Eu vi a Bel (Isabele) subindo para o meu quarto. Aí eu subi atrás porque eu fui chamar ela”.

Ao ser questionada pelo delegado sobre o que queria com a vítima, a adolescente disse: “primeiro eu queria saber o que ela estava fazendo e depois eu queria chamar ela para ela levar torta para a mãe dela porque ela tinha brigado com a mãe dela. Daí, eu ia falar para ela levar torta porque a gente fez torta de limão para ela.”

Logo após, a jovem contou como Isabele morreu. “Eu entrei no quarto, onde fica as camas. Chamei ela (a Isabele) e ela não respondeu. Eu chamei ela no closet onde fica os armários e ela também não respondeu. Quando eu fui bater na porta do banheiro, o case caiu da minha mão. Eu fui pegar ele (o case) com uma mão e a arma com a outra. Aí eu subi eles e quando estava colocando a arma, ela disparou.

A pedido da autoridade policial, a adolescente, utilizando duas armas descarregadas e um case semelhantes aos do usados no dia dos fatos, a menor demonstrou a sua versão do que aconteceu na casa.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 31 de julho de 2020 às 17:35:24