https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2020/08/isabele-ramos-tiro.jpg

CASO ISABELE

Polícia Civil e Politec realizam reconstituição da morte de adolescente

A Polícia Civil de Mato Grosso, por meio da Delegacia Especializada do Adolescente (DEA) e da Delegacia dos Direitos da Criança e do Adolescente de Cuiabá (Deddica) que investigam a morte de Isabele Guimarães Ramos, realiza nesta terça-feira (18), a partir das 18h30, junto com a Perícia Técnica e Identificação Oficial (Politec), a reprodução simulada dos fatos em relação à morte da adolescente.

A reconstituição dos fatos tem o objetivo de esclarecer qualquer dúvida que ainda exista na investigação quanto às versões apresentadas. Serão reproduzidos cada movimento efetuado pelas partes, para apontar a compatibilidade das versões apresentadas na investigação.

Na reprodução será verificada se a versão da adolescente é possível e compatível com os laudos da perícia.

Após a reconstituição, os delegados que presidem o inquérito irão analisar se serão necessários novos depoimentos. O delegado Wagner Bassi estima que a conclusão do inquérito deva ocorrer em dez dias após a elaboração do laudo pericial da reprodução. Este prazo pode variar de acordo com a complexidade do ato.

A partir da entrega do laudo, o presidente do inquérito fará a análise do conjunto probatório do inquérito, que inclui todos os laudos periciais produzidos (necropsia, local de crime, confronto balístico e reprodução simulada), depoimentos, relatórios de aparelhos de telefonia celular, relatório de vídeos e imagens, entre outros atos investigatórios, quando então será feito o relatório de conclusão do inquérito policial, bem como do Auto de Apuração do Ato Infracional.

As perícias complementares pedidas pelo advogado de defesa estão sendo analisadas pelos delegados responsáveis pelas investigações.

Os aparelhos de telefonia celular apreendidos foram submetidos a procedimento de extração de dados e posterior confecção de relatório de análise formalizado pela Diretoria de Inteligência, conforme quebra de sigilo telefônico determinada judicialmente. Em análises de aparelhos foram constatadas mensagens apagadas. Medidas técnicas estão sendo adotadas a fim de recuperar essas mensagens.

O detalhamento das investigações deve ser mantido em resguardo com o objetivo de não causar prejuízo aos trabalhos desenvolvidos.

A Polícia Civil de Mato Grosso reitera que está se empenhando e utilizando todos os recursos investigativos e técnicos existentes para esclarecer o crime que chocou a sociedade mato-grossense e todo o Brasil.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 18 de agosto de 2020 às 11:50:56