https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2020/08/185d01cd8b6f718e8ebc454ccc085606.jpg

ALERGIA AO FORMOL

Mulher tem parada cardíaca após progressiva no cabelo

Divulgação

A moradora de Cascavel, no oeste do Paraná, Magali Rosa dos Santos, que teve uma parada cardiorrespiratória e foi parar na UTI (Unidade de Terapia Intensiava) após fazer uma escova progressiva no cabelo supostamente com uso de formol, disse que está psicologicamente abalada com a situação.

O formol é uma substância altamente tóxica e proibida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“Tô sentindo fraca, com falta de ar, dor de cabeça, e estou bem debilitada e não consigo dormir porque eu tenho medo de dormir. Eu estou psicologicamente bem abalada”, desabafou.

Ela também contou que está tendo quedas diárias de cabelo e que está fazendo tratamento com shampoo anti-resíduos. O caso aconteceu no domingo (16).

A Polícia Civil informou, nesta quarta-feira (26), que vai investigar e pedir para que sejam feitas perícias técnicas para apurar se o produto utilizado tem componentes não autorizadas pela Anvisa. Além disso, apurar se a parada cardiorrespiratória tem relação com o produto.

A RPC tenta contato com a profissional que fez o procedimento de alisamento no cabelo da mulher.

Após o procedimento no cabelo, Magali ficou três dias internada na UTI do Hospital do Coração. De acordo com o médico Lisias de Araújo Tomé, a vítima teve uma grave alergia ao produto químico usado no processo de alisamento do cabelo. Após chegar ao hospital, foi entubada imediatamente, caso contrário, poderia ter morrido, segundo o médico.

A Vigilância Sanitária informou que fará inspeção para verificar se salão usou formol durante alisamento. Magali afirmou que a cabeleireira usou a substância tóxica para fazer a progressiva.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 27 de agosto de 2020 às 12:57:54