https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2020/08/Policia-Civil.jpg

PROCESSO DE INVESTIGAÇÃO

Operação prende PMs e empresário; delegado também se torna alvo

reprodução

O empresário e produtor rural, é um dos 4 presos pelo GCCO durante a “Operação Insídia”, deflagrada na manhã desta quinta-feira (27), que investiga o sumiço de 6 pessoas, com indício de execução, em União do Sul (647 km de Cuiabá).

Os demais detidos são 3 militares da ativa, que são apontados como os executores do crime.

Um delegado é investigado e, também foi alvo de busca e apreensão na manhã desta quinta-feira, sobre ele recaia a suspeita de oferecer dinheiro aos policiais envolvidos na investigação para que não investigassem o produtor rural.

Crime que caracteriza corrupção ativa, de acordo com a investigação.

Investigações

As investigações apuram os fatos ocorridos no dia 18 de abril deste ano, em uma fazenda no município de União do Sul. Naquele local, foram encontrados diversos veículos com perfurações, estojos, munições, além de manchas de sangue e objetos pessoais, sem qualquer registro ou informação do que teria acontecido.

Ao todo, foram expedidos cerca de 11 mandados de busca e apreensão.

Após a realização de dezenas de diligências, perícias técnicas, buscas pelos corpos, oitivas de testemunhas e de pessoas envolvidas, as investigações apontaram para a execução de pelo menos seis pessoas, seguidas da ocultação dos respectivos cadáveres.

Entre as vítimas está um funcionário da fazenda que trabalhava no local onde o fato ocorreu.

As investigações apontam que o grupo planejava realizar um roubo naquela fazenda, mas não há a confirmação de que realmente foi praticado.

Além dos homicídios, são apurados outros possíveis crimes conexos, como cárcere privado, constituição de milícia privada, corrupção ativa e passiva.

As ações foram realizadas com apoio da Gerência de Operações Especiais (GOE), Corregedoria da Polícia Civil de Mato Grosso, Polícia Civil do Estado de Tocantins e Corregedoria da Polícia Militar de Mato Grosso.

As investigações seguem em andamento.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 27 de agosto de 2020 às 14:59:37
  • 27 de agosto de 2020 às 14:58:29