https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2020/09/Design-sem-nome-3-e1576249822367.jpg

MERCADO

Tendência para soja e milho é de preços em alta, afirma analista

Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) divulgou nesta sexta-feira, 11, o relatório de oferta e demanda de grãos. O órgão reduziu as projeções para as safras de milho e soja norte-americanas. No caso do cereal, o corte foi de 10 milhões de toneladas, para 378,5 milhões de toneladas. Para a oleaginosa, a redução foi de 3 milhões de toneladas, para 117,4 milhões de toneladas.

Isso provocou altas dos produtos na Bolsa de Chicago logo após a divulgação. “A alta para a soja [17 cents de dólar por bushel] está exagerada diante dos números do relatório. Para o milho, [a valorização de 6 cents de dólar por bushel] deveria ser mais consistente”, diz o analista Marcos Araújo, da Agrinvest Commodities.

Segundo ele, o mundo tem um grande problema com os estoques de milho, que dariam para apenas 51 dias de consumo, o que gera a pressão sobre os preços do cereal. Além disso, a recomposição do rebanho de suínos da China deve continuar impulsionando a demanda.

“Continuamos acreditando que os preços em dólar devem continuar firmes por conta da desvalorização da moeda norte-americana frente outras. É um momento de expectativa de alta de preços”, complementa.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 13 de setembro de 2020 às 19:40:11
  • 11 de setembro de 2020 às 19:10:25