https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2020/05/art_10849_600.jpg

MEDIDAS DE EMANUEL

Saad rebate França sobre covid-19; “não tem conhecimento de causa”

Da assessoria

Médico e vereador por Cuiabá, Ricardo Saad (PSDB), criticou o candidato a prefeito, Roberto França (Patriota), por tentar querer usar as medidas contra a disseminação do coronavírus ampliadas na capital, para tentar atingir negativamente o prefeito e candidato à reeleição Emanuel Pinheiro (MDB).

França disse em entrevista a uma rádio na manhã desta quinta-feira (22), que o prefeito “fechou quando não era para fechar [o comércio] e abriu quando não era para abrir”.

“Eu tenho 40 anos de medicina, sou presidente da Comissão de Saúde da Câmara de Cuiabá, e orientei o prefeito a fechar o comércio porque não tínhamos leitos suficientes e não tínhamos onde colocar as pessoas. Ninguém sabia o que iria ocorrer. É uma doença desconhecida, que estava matando milhares pelo mundo e nós tínhamos que nos preparar para o desconhecido. Estávamos arrumando os hospitais para atender os pacientes com covid”, avaliou Saad.

Durante a medida do fechamento do comércio, toque de recolher e ainda, redução do horário de funcionamento dos serviços não essenciais, suspensão do transporte coletivo e outras tomadas de decisões, conforme o médico, deu tempo para Cuiabá e Várzea Grande se prepararem para “enfrentar o vírus desconhecido”.
O médico lembrou também da resistência do Governo do Estado, que estava tentando “travar” a inauguração do novo Hospital Municipal de Cuiabá

“Deveriam ter elogiado o prefeito, porque eles lutaram para não inaugurar o HMC e Emanuel foi lá e peitou e inaugurou. Ele transformou o São Benedito e o antigo Pronto Socorro exclusivamente para atender os pacientes com covid. Emanuel acertou sim, e ninguém sabia o que iria acontecer. Diziam que acabaria em 60 dias e não acabou. Hoje, a doença voltou na Europa. O prefeito deveria ter aplicado medidas mais rígidas de fechamento total, orientei isso a ele. Eu peguei covid e não morri porque Deus não quis me levar. Agora, falar que errou é fácil, difícil é tomar decisões antipopulares, mas que deu certo e salvou vidas. Isso é o que importa, Cuiabá e Várzea Grande , praticamente atendeu o estado inteiro. Se não fossem as medidas tomadas estaríamos no sufoco e com uma tragédia maior”, disparou.

Quanto a fala de França sobre a não criação dos leitos, o medico lembra que Cuiabá não perdeu 40 Unidades de Tratamento Intensivo (UTI), mas sim foram instalados no São Benedito para atender outras doenças.

Hospital Referência de Cuiabá

O Hospital Referência de covid-19 disponibilizou 135 leitos exclusivos para pacientes com com coronavírus,. Sendo 40 respiradores empregados para essas UTIS, vieram do Ministério da Saúde, por intermédio do deputado federal e candidato a prefeito em Várzea Grande, Emanuel Pinheiro Neto (PTB), o Emanuelzinho.

Veja Mais

3 comentários em “Saad rebate França sobre covid-19; “não tem conhecimento de causa””

  1. Susy Regina disse:

    Gente aceita que Emanuel Pinheiro, tem feito uma ótima Gestão. Não existe essa de se curar sozinho. Vai se informar melhor sobre essa doença.

  2. Edson Shimizu Frutuoso disse:

    Realmente, esse médico fez uma análise muito boa. Falou o que eu tenho falado, aquele isolamento inicial salvou muitas vidas, se foi orientação desse médico, parabéns à ele. Prof. Shimizu.

  3. Dejalma Macedo disse:

    O vereador Saad é aliado do prefeito do paletó corrupto e sem vergonha como ele que se beneficia da secretaria de saúde com o Hospital Sta Helena que presta um serviço de má qualidade para SUS matando inúmeras mães e crianças. A desinformação para a população foi o maior erro do Prefeito do Paletó aliada a briga com o governador deixou a população sem assistência médica e medicamentos para combater o Covid-19. Nesse período muitas pessoas doentes voltaram para casa o que agravou o quadro do doente levando a morte. A população salvou sozinha se automedicando com Ivermectina, Aziatromicina, Hidroxicloroquina, Clexane anticoagulante. Muitos morreram por falta de políticas públicas para atender a população, os médicos demoraram assimilar o Covid-19 e tinham medo de receitar o medicamento que todos já compravam nas farmácias e drogarias.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 23 de outubro de 2020 às 12:24:44
  • 23 de outubro de 2020 às 12:23:43