https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2020/12/Screenshot_2.png

HIPERSÔNICO

Austrália faz parceria com os EUA para desenvolver mísseis

A Austrália desenvolverá, em conjunto com os Estados Unidos, mísseis de cruzeiro hipersônicos, disse a ministra da Defesa Linda Reynolds nesta terça-feira (1º). China e a Rússia, potências com costas para o Oceano Pacífico, onde a Austrália está localizada, estão desenvolvendo armas semelhantes.

“Continuaremos a investir em capacidades avançadas para dar à Força de Defesa Australiana mais opções para deter a agressão contra os interesses da Austrália”, disse Reynolds em um comunicado.

Ela não revelou o custo de desenvolvimento dos mísseis ou quando eles estariam operacionais.

A Austrália reservou até 9,3 bilhões de dólares australianos (US$ 6,8 bilhões) neste ano para sistemas de defesa antimísseis de alta velocidade e longo alcance, incluindo pesquisa hipersônica.

Os mísseis hipersônicos são capazes de viajar a mais de cinco vezes a velocidade do som e a combinação de velocidade, manobrabilidade e altitude torna-os difíceis de rastrear e interceptar.

No ano passado, a Rússia implantou seus primeiros mísseis hipersônicos com capacidade nuclear, enquanto o Pentágono, que testou um míssil hipersônico semelhante em 2017, tem o objetivo de desenvolver capacidades semelhantes de combate à guerra no início até meados da década de 2020.

A China implantou, ou está perto de implantar, sistemas hipersônicos armados com ogivas convencionais, de acordo com analistas de defesa.

A Austrália disse em julho que aumentaria os gastos com defesa em 40% nos próximos 10 anos para adquirir capacidades de ataque de longo alcance no ar, mar e terra. A mudança ocorre no momento em que Canberra amplia seu foco militar da região do Pacífico para a região do Indo-Pacífico.

Tensões com a China

A colaboração da Austrália com os Estados Unidos no desenvolvimento de mísseis, no entanto, pode inflamar as tensões australianas com a China.

As relações entre a Austrália e seu maior parceiro comercial atingiram uma nova baixa na segunda-feira, depois que um alto funcionário chinês postou uma imagem falsa de um soldado australiano segurando uma faca na garganta de uma criança afegã.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 1 de dezembro de 2020 às 12:41:52