https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2020/12/WhatsApp-Image-2020-12-02-at-06.59.58-1.jpeg

VIAS INTERDITADAS

Policiais Penais bloqueiam as entradas do CPA nesta manhã e cobram valorização do trabalho e salário

Da assessoria

O Sindicato dos Servidores Penitenciários (Sindspen) travou todas as entradas do Centro Político Administrativo (CPA) de Cuiabá, na manhã desta quarta-feira (02). A manifestação é pela falta de valorização do trabalho e a não regulamentação da Proposta de Emenda à Constituição (Pec) 05.

Esse descaso gerado pelo Governo do Estado com a classe policial, obrigou os Policiais Penais a se mobilizarem e lutar pela regulamentação da Polícia Penal Estadual e pela valorização salarial, ambas as demandas têm se arrastado por anos.

“Não vamos aceitar que alterem o texto da PEC 05 que já foi aprovada em 1° turno na Assembleia Legislativa e também nenhum valor a menos do qual apresentamos. Queremos nossa nova tabela aprovada e publicada no diário oficial, em um órgão novo e com uma nova estrutura organizacional”, cobrou a presidente do Sindspen, Jacira Maria.

A valorização salarial, por exemplo, é uma luta desde 2014, onde os profissionais tiveram que dividir seus direitos com outras carreiras o que não foram devidamente corrigidos, e nunca houve nenhum acordo por parte dos governantes, para sanar essa injustiça.

Já no próximo dia 04 de dezembro completa 01 (um) ano que a Emenda Constitucional n° 104/ 2019, inseriu a Polícia Penal, Federal, Estadual e Distrital, na Constituição Federal. Cada Estado passou a ter obrigação, legislativa e administrativa, para aprovar e regulamentar a funcionalidade dessa nova polícia, mas em Mato Grosso, até o presente momento essa demanda está pendente.

“O novo órgão de Segurança Pública: a Polícia Penal, precisa nascer forte, com autonomia, bem enxuta e sem peso, assim como funciona a Polícia Rodoviária Federal (PRF). Estamos dando continuidade a caminhada que levou mais de uma década para ser reconhecida e dar segurança jurídica ao Agente Penitenciário/Policial Penal, portanto, não aceitaremos diálogo em 2022, este é o momento para honrar aqueles que foram abatidos pela enfermidade, tragédia, morte pela covid e não poderão desfrutar desse resultado: Polícia Penal e Valorização Salarial já!”, finalizou Jacira.

O Ato de Protesto conta com policiais penais, da capital e do interior, que não mediram esforços para demonstrar a insatisfação com forma que estão sendo destratados pelo governador, Mauro Mendes (Dem) e os Deputados Estaduais.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 2 de dezembro de 2020 às 13:42:25
  • 2 de dezembro de 2020 às 13:13:57