https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2021/04/WhatsApp-Image-2021-04-19-at-11.46.57.jpeg

PROJETO DE LEI

Vidal quer opinião das mulheres sobre ônibus rosa em Cuiabá

Da assessoria

O vereador Sargento Vidal (Prós) publicou no último sábado (17.04), um vídeo em suas redes sociais, pedindo a opinião da população feminina em relação ao Projeto de Lei de autoria do vereador Pastor Jeferson (PSD) sobre a criação de ônibus especiais e exclusivos para mulheres e crianças em horários de pico, o “Ônibus rosa”. O parlamentar foi escolhido pelo presidente da Comissão de Transporte e Meio Ambiente, Kassio Coelho para ser relator do PL.

O autor do PL tentou a aprovação na Câmara de Cuiabá por meio de regime de urgência, no entanto, foi reprovado pela Comissão de Constituição e Justiça. Após ir para votação em Plenário, os vereadores derrubaram o veto da CCJ e o PL foi para a Comissão de Transporte e Meio Ambiente para que possa ser analisado a sua viabilidade.

Escolhido como relator, Vidal busca dar um parecer de acordo com a opinião das mulheres por serem as principais vítimas de assédio sexual dentro dos transportes coletivos, para isso a Comissão irá receber na próxima quarta-feira (28.04), algumas coordenadoras de ONGs e Comissões que representam grupos de mulheres para poder chegar a um consenso e ver o que será mais viável para as mulheres.

“É uma proteção para as mulheres, porém, esse projeto tem pontos positivos e negativos. Positivo: as mulheres terão liberdade e mais tranquilidade de andar de ônibus sem serem importunadas, assediadas. Negativo: essas mulheres teriam que esperar somente esse ônibus para irem ao trabalho, fora a demora entre uma linha e outra que ocasionaria um atraso em seus serviços, o que seria uma situação ruim com as empresas nas quais elas trabalham”, pontuou Vidal.

O parlamentar ainda analisou que, caso a mulher decida usar o transporte convencional, possivelmente iria ter que lidar com alguns homens que iriam iniciar uma confusão alegando que elas teriam que esperar o ônibus delas. Vidal explicou que, de acordo com os membros da CCJ, o PL não foi aprovado por ferir o artigo 5° da Constituição onde diz “que todos nós somos iguais”, além de prestigiar a segregação racial ao separar homens e mulheres.

Devido a isso, Vidal pretende primeiro ouvir, principalmente, as mulheres tanto em suas redes sociais quanto pessoalmente, por meio de suas representantes, para que possa, ao final, emitir um parecer justo e mais viável a todos.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 19 de abril de 2021 às 18:50:26