https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2021/06/21db7a610c2b034fc86f5f29b46a9b55.jpg

RACHADURA NO PROS

Oscarlino sobre Gisela: “Gurizinho mimado que só joga se ele tiver a bola”

Reprodução/ Prefeitura de Cuiabá

O secretário de turismo em Cuiabá, Oscarlino Alves (Pros) lavou a roupa suja em uma entrevista exclusiva para o Programa Passando a Limpo na tarde de segunda-feira (21), acerca de Gisela Simona (Pros) e os embates nos bastidores da sigla em Mato Grosso. O gestor apontou a ex-canditada à prefeita pela capital como “aquele gurizinho mimado que só joga no time se ele tiver a bola”.

O secretário pontuou que diante das tomadas de decisões de Gisela, ele não permanecerá no partido. Além do gestor, outro que poderá bater retirada do Partido Republicano da Ordem Social é o deputado João Batista (Pros).

Oscarlino destacou que o posicionamento de Gisela não agrada aos membros da sigla, frisando que Simona poderá enfrentar dificuldades ao encarar o pleito 2022, por falta de alianças. O secretário não parou por aí, ele também comparou a futura candidata a uma criança birrenta.

Eu pessoalmente inviabilizo a minha presença junto com ela, inviabilizou também a presença do deputado João Batista. Porquê? Uma postura dessa de dissolver diretório eleito em convenção pelo partido, ela é uma atitude muito ruim internamente, isso ofusca as lideranças partidárias. Ela vai ter muita dificuldade em ser eleita, isso é eu que estou avaliando, esse é o meu posicionamento. Para atrair lideranças para o partido, pessoas que acreditarem. Fica parecendo o seguinte “Aquele gurizinho mimado que só joga no time se ele tiver a bola, então isso aconteceu conosco. Muito provavelmente eu devo estar me desligando nos próximos dias aí da sigla partidária e vamos seguir nossa vida na prefeitura”, disparou Oscalino que completou:

Devido á expressão de votos que nós ajudamos ela a construir, tanto de deputada federal, quanto de candidata à prefeita, o partido hoje precisa de candidatos para deputados federais e ela é uma eminente candidata à deputada federal. Ela inviabilizou a nossa permanência, inclusive, ela entrou com processo extrativo interno pedindo meu afastamento da sigla, e como eu já disse, eu não nasci dentro de partido, eu não preciso de partido político. Eu ajudei construir o PROS aqui no estado de Mato Grosso“, declarou o secretário.

Ainda em meados de 2021, as eleições de 2022 já estão a todo vapor enquanto o cerco político se fecha aos poucos. O Pros, entretanto, sofre um dilema: a forte candidatura de Gisela Simona para Deputada Federal, em contrapartida, a rachadura presente dentro da sigla.

A situação de desarmonia entre os integrantes da legenda atualmente é apenas a ponta do ice berg, uma vez que de acordo com o secretário, o descontentamento dos membros com Gisela se deu ainda, quando a então candidata à prefeita por Cuiabá, apoiou no segundo turno das eleições de 2018, Abílio Júnior, sem comunicar os membros da sigla.

A Gisela com um posicionamento duro, de troca de farpas com o vereador Abílio. O tempo todo ele ofendeu ela ao vivo em debate, teve troca de farpas nos bastidores, eles fizeram debate privado entre os dois e tudo rumava para um posicionamento lógico, de neutralidade no 2º turno, já que ela ficou em terceiro lugar, mas não foi isso que aconteceu“, disse Oscarlino.

O gestor ainda criticou as decisões de Gisela nos trâmites e nos bastidores da eleição de 2018, apontando como fracas algumas decisões, e sem o aval da maioria dos membros. Somado à isso, enfatizou que os ideais o partido e dele próprio não rumavam a favor de Abílio, e sim de Emanuel Pinheiro (MDB) o qual venceu o embate.

Estranhamente ela convocou uma reunião com os candidatos a vereadores, não foi uma reunião convocada para o diretório do partido à nível municipal, se tomou uma decisão frágil, com 20 candidatos presentes e ela fez uma conversação, já tinha feito uma conversação com o candidato Emanuel Pinheiro e com o candidato Abílio, e aí houve essa resolução. Isso me forçou a tomar um posicionamento também, porque eu ficaria na neutralidade, mas o servidor público que é a nossa base, aquilo que a gente acredita, eu acolhi o pedido dos servidores públicos, dos colegas presidentes dos sindicatos e presidentes sindicais resolvemos tomar o nosso posicionamento também que era de apoio à reeleição do candidato Emanuel Pinheiro à época“, finalizou.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 23 de junho de 2021 às 19:53:21
  • 23 de junho de 2021 às 17:13:57