https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2021/07/Sem-titulo-36.png

TEIMOSIA

Homem atacado por tubarão havia sido advertido por bombeiros antes de incidente; vídeo

reprodução

O homem atacado por um tubarão, neste domingo (25), em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife, passou por uma cirurgia e tem o quadro de saúde estável. De acordo com a assessoria de imprensa do Hospital da Restauração, Everton dos Reis Guimarães, 32 anos, está na sala de recuperação da unidade.

O banhista havia sido alertado pela equipe do Corpo de Bombeiros sobre o risco de tomar banho em frente à Igrejinha de Piedade momentos antes do incidente.

Segundo o presidente do Comitê Estadual de Monitoramento de Incidentes com Tubarões (Cemit), coronel Valdy Oliveira, ele foi advertido e retirado da água, mas acabou sendo ferido, na parte posterior da coxa esquerda e glúteo, após voltar ao mar.

“O guarda-vidas já tinha retirado o banhista da água. Ele voltou e, quando o guarda-vidas estava chegando para tirar ele novamente da água, aconteceu o incidente. A equipe retirou imediatamente o cidadão do mar e fez os primeiros socorros”, destacou.

O homem sofreu ferimentos na coxa esquerda e glúteo e foi socorrido no Hospital da Aeronáutica, também em Jaboatão. De lá, após ser estabilizado, ele foi levado para o Hospital da Restauração, no bairro do Derby, na área central do Recife, como determina o protocolo do Cemit para incidentes com tubarão.

É o segundo ataque de tubarão no mesmo local em um intervalo de 15 dias. No dia 10 de julho, um homem de 51 anos morreu após um incidente com tubarão no mesmo ponto da praia de Piedade.

Das outras 13 pessoas atacadas neste local, 12 eram banhistas e uma era surfista. Ao todo, sete morreram.

O coronel Valdy Oliveira afirmou que o litoral pernambucano estava desde junho de 2018 sem registrar nenhum incidente com tubarão. Ele não descartou a possibilidade de que o banho de mar naquela área seja proibido.

“Vamos ter uma reunião amanhã [segunda-feira, 26] para definir isso. Tem sinalização, posto de guarda-vidas, bandeirolas que ficam na areia e, mesmo assim, a população não segue as orientações. Vamos convidar as prefeituras para discutir que medidas podem ser tomadas para fortalecer esse trabalho”, disse.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 26 de julho de 2021 às 19:03:03
  • 26 de julho de 2021 às 18:59:47