https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2021/06/9A1A4921.jpg

"NADA DE MAIS"

Mauro quer reverter polêmica sobre chamar bolsonaristas de doentes

Mayke Toscano/Secom-MT

O governador de Mato Grosso Mauro Mendes (DEM), em entrevista ao Estúdio ao Vivo, nesta terça-feira (03), disse que o áudio vazado onde ele, o deputado federal, Neri Geller (PP) e o deputado estadual, Dilmar Dal’Bosco (DEM) desdenham de Bolsonaristas e os chamam de doentes, não tem nada de anormal, algo muito simples, e levantou ainda, que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), defende o combate a corrupção igual a ele.

“Era uma conversa normal, ela vazou porque o Neri sem querer, ele apertou um botãozinho ali do whatsapp né, ele abriu um grupo lá, mas o que foi falado não tem nada de anormal, algo muito simples né. Quantos por cento da população de Mato Grosso são muito apaixonados, radicais, seguidores do presidente Jair Bolsonaro? Uns falam que é 10, que é 20, que é 30, que é 50, não importa né, hoje o Brasil tem pessoas que são radicais de esquerda, têm os radicais de direita, têm os que são de centro isso é natura”, respondeu Mauro.

O áudio mostrou como que a alta cúpula política mato-grossense está vendo o cenários, com a aproximação do pleito eleitoral de 2022. Quem não ficou feliz com as declarações foram os radicais que não importam com a realidade brasileira.

Na conversa, Neri desdenha da força eleitoral de Bolsonaro e insinua que apoiadores mais próximos do presidente são “doentes”. “Esses radicais Mauro, você fala em 30%, não dá 18, 12% dos radicais”.

“É, esses daí, são doentes. Agora, esses 10% estragam pra caralho”, continuou a conversa.

Para não perder voto dos “doentes bolsonaristas”, o chefe do Executivo Estadual tentou amenizar a situação e disse que não é radical nem de direita, nem de esquerda, mas, defende as mesmas coisas que eles. O democrata se colocou junto com o presidente, como um defensor do combate a corrupção e defensor da democracia.

“Eu acho que muitos desses eleitores, no que eles defendem, eu também defendo, embora eu não seja radical nem de direita, nem de esquerda, mas, eu defendo radicalmente o combate a corrupção, que eu tenho certeza que o presidente Bolsonaro e os eleitores dele, também defendem. Eu defendo o estado democrático, eu tenho certeza que tanto o de esquerda, como direita, tem muita gente que defende”, continuou Mendes. 

E para não sair por baixo, o governador voltou a minimizar o áudio e as falas contidas nela. “Uma conversa muito tranquila, que eu acho que não tem nada de mais, em você conjecturar, você imaginar, quantos por cento faz parte disso… Quem ouviu o áudio, viu que não tem nada de mais, eu não estava falando do Bolsonaro, estávamos falando de quantos eleitores em Mato Grosso que são radicais né, que são defensores apaixonados pelo Bolsonaro”.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 4 de agosto de 2021 às 21:00:12