https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2021/10/xfmgg.jpg

INADIPLÊNCIA

PEIC: 74% das famílias brasileiras estão endividadas

Mensalmente a CNC (Confederação Nacional do Comércio) divulga uma pesquisa sobre o endividamento e a inadimplência das famílias brasileiras. A inadimplência mostra uma gradual queda, desde setembro do ano passado, o que é muito favorável para as empresas que oferecem créditos e financiamentos. Porém, o constante aumento do endividamento das famílias este ano está preocupando.

Em Dezembro do ano passado o endividamento das famílias brasileiras era de 66%, desde aquele momento o percentual só aumentou, de acordo com Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), em setembro 74% das famílias brasileiras terminaram o mês endividadas. Seja com as parcelas do cartão de crédito, com os carnês de lojas, com empréstimos ou financiamentos.

Entre os pesquisados, as famílias que ganham menos de dez salários mínimos são as mais endividadas, superando os 75% delas (exatamente 75,3%). Mas, as famílias que ganham mais de dez salários mínimos não estão muito distantes desse percentual, 68,9% terminaram o mês de setembro com dívidas.

Entre as formas de endividamento, a mais utilizada continua sendo o cartão de crédito. 84,6% dos endividados possuem contas deste tipo, percentual que aumentou 5,6 p.p. na relação interanual, em setembro de 2020 eram apenas 79%.

Seguem na lista os carnês de lojas, com 18,8% e o financiamento de veículos com 13,2%. Os demais tipos de dívidas citadas na PEIC têm menos de 10% de utilização: financiamento de imóveis (9,7%), crédito pessoal (9%), crédito consignado (7,1%), cheque especial (4,6%), entre outras.

Do total de famílias endividadas, 25,5% estão com suas contas em atraso, 1 p.p. menos do que há um ano atrás, em setembro de 2020 26,5% das famílias estavam inadimplentes. Entre as famílias que não têm condições de pagar, o panorama também é alentador, pois houve uma queda de 1,7 p.p., no ano passado era 12%, este ano apenas 10,3% dos endividados.


De acordo com a pesquisa da Peic, muitos brasileiros preferem aproveitar a praticidade de um cartão de crédito antes que fazer um empréstimo. No entanto, o cliente tem um gasto maior pelas facilidades do cartão de crédito, chegando a pagar taxas de juros de mais de 60% ao mês, de acordo com a
tabela oferecida pelo Banco Central. Empréstimo, vilão ou herói?

É certo que o empréstimo consignado não está disponível para todos e que qualquer modalidade de empréstimo requer um pouco mais de tempo entre a solicitação e a liberação. Uma boa opção de empréstimo urgente para autônomo pela Internet que estará disponível até o final do ano é o Crédito Caixa Tem.

No entanto, este empréstimo libera apenas R$ 1.000, quem estiver precisando de um capital maior deve fazer algumas análises de crédito e pesquisar as alternativas de várias instituições financeira, tanto as tradicionais (bancos e financeiras) como as que surgiram nos últimos anos, como as fintechs.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 20 de outubro de 2021 às 18:35:04