https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2022/02/op-oris.jpg

EM FLAGRANTE

Polícia prende proprietário de comércio por importunação sexual

DA REDAÇÃO / MATO GROSSO MAIS
[email protected]

Assessoria/Polícia Civil-MT

O proprietário de um comércio de peças de aparelhos celulares suspeito de importunação sexual contra uma cliente, foi preso em flagrante pela Polícia Civil, na sexta-feira (04.04), em Alto Taquari (479 km ao sul de Cuiabá).

O suspeito, de 27 anos, foi preso pelos policiais civis no momento em que fechava o estabelecimento e foi autuado em flagrante pelo crime de importunação sexual.

As diligências iniciaram após a vítima procurar a Delegacia de Alto Taquari comunicando o crime, ainda em estado de choque com a situação. Segundo as informações, a vítima foi até a loja para em busca de uma peça para o seu celular, ocasião em que havia outro cliente sendo atendido.

Quando o outro cliente foi embora, o dono do estabelecimento foi para uma sala no interior da loja e quando retornou estava com o órgão genital exposto, conversando com a vítima como se nada estivesse acontecendo.

Durante a situação, o outro cliente retornou à loja, ocasião em que o suspeito entrou para os fundos da loja e voltou para a frente com o órgão genital recolhido, continuando o atendimento da vítima e da outra pessoa que estava no local.

A vítima saiu do estabelecimento e procurou a delegacia, ocasião em que os policiais saíram em diligências e conseguiram prender o suspeito no momento em que ele fechava a loja. Ele foi conduzido à Delegacia de Alto Taquari onde foi autuado em flagrante pelo crime de importunação sexual, podendo pegar pena de 1 a 5 anos de prisão.

Após os fatos, o suspeito foi encaminhado para audiência de custódia na sexta-feira (01.04), sendo liberado mediante fiança no valor de R$ 8 mil e responderá pelo crime em liberdade.

A Polícia Civil continua as investigações, uma vez que há informações sobre outros dois casos de importunação sexual praticadas pelo suspeito, em que ele teria agido da mesma forma.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *