https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2015/09/MAURO-MENDES.jpg

ÁGUA E ÓLEO

Maggi quer PSDB e PMDB no palanque para apoiar Mendes à reeleição

Mato Grosso Mais

Prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (PSB). Foto: Mato Grosso Mais

O senador Blairo Maggi (PR) quer unir água e óleo.

Ou seja, mesmo com todo esforço que possa fazer para que isso aconteça, não vai acontecer, porque água e óleo não se misturam.

Em entrevista ao site Midianews, Maggi (PR) afirmou que irá buscar um entendimento no sentido de que o PSDB do governador Pedro Taques e o PMDB, comandado pelo deputado federal Carlos Bezerra, estejam juntos no palanque da provável recandidatura do prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (PSB), em 2016.

Os últimos acontecimentos mostram que a imagem de Mauro Mendes (PSB) ficou muito arranhada.

Primeiro, as empresas de Mendes que entraram em recuperação judicial para evitar falência.

Segundo, o prefeito virou réu na Justiça Federal após uma ação do Ministério Público Federal.

Terceiro, o relacionamento entre Taques e Mendes não é o mesmo. A tendência é que a cada dia que passe o governador se distancie do prefeito.

Operação deflagradas tanto pelo Gaeco como pela Delegacia Fazendária mostram que vira e mexe a administração de Blairo Maggi é citada.

Um exemplo recente é a que aconteceu hoje (29), no Intermat. A Defaz cumpriu mandado de busca e apreensão de uma investigação que começou em 2003, início do governo Maggi.

Maggi deve se filiar ao mesmo partido de Silval Barbosa (PMDB). Ex-governador que está preso no Centro de Custódia de Cuiabá acusado de envolvimento em irregularidades na concessão de incentivos fiscais. Blairo foi cabo eleitoral de Silval.

Ainda de acordo com a entrevista dada ao Midianews, segundo o senador, que se filiará ao PMDB em dezembro, as duas maiores siglas do Estado são as forças necessárias para ajudar num eventual projeto de reeleição de Mendes.

Ele, inclusive, já procurou Taques, no início do ano, para manifestar essa vontade, mas o governador, por outro lado, se mostrou resistente a essa possibilidade.

“O Pedro foi sincero e não disse que estará aberto. Disse, sim, que tem dificuldades para andar com o PMDB. Eu tenho uma total inclinação em apoiar o Mauro, pela caminhada que já fizemos juntos. Então, disse ao governador que, em 2016, quem vai disputar a eleição é o Mauro Mendes, e é ele quem terá apoio”, afirmou o senador ao MidiaNews.

“Cabe ao PMDB e PSDB darem apoio a uma candidatura do Mauro. Porque as eleições de 2018 serão as próximas. Lá na frente, os partidos podem sentar, novamente, e definir com quem querem ir, quem ajuda e quem atrapalha. Não vejo grandes problemas nessa questão”, disse.

Para Blairo Maggi, a fragmentação dos apoios poderia dificultar a reeleição e dar forças para outras candidaturas.

“Porque uma eleição com todo mundo ajudando já é difícil. Se você começar a dividir grupos por causa de algumas pessoas contrárias, será sempre mais difícil”, afirmou.

Em aberto

Segundo Blairo Maggi, apesar de ver dificuldades em dividir o palanque, o governador Pedro Taques deixou em aberto uma possível união dos grupos.

“Essa é uma questão a ser resolvida mais para frente. O governador colocou com toda tranquilidade o grau de dificuldade que tem em andar com o PMDB. Compreendo, não há problema nenhum. Agora, temos que ver como será daqui para frente. Eu não diria que, neste momento, tem alguma coisa decidida ou pré-estabelecida”, disse.

Dificuldades na administração

Por fim, o senador ressaltou o momento de crise econômica vivida pelo país.

Para ele, isso afetará o último ano de todos os gestores municipais e a próxima eleição.

“Toda eleição é sempre difícil. E, neste momento, as administrações estaduais e municipais estão com muitas dificuldades financeiras. Mas, acho que o Mauro tem todas as chances de se reeleger. Nada é certo, tem que trabalhar bastante”, completou.

Foto: Divulgação

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *