https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2015/09/martelo-de-juiz.jpg

SECRETARIA DE SAÚDE

Justiça afasta Bermudez do cargo por não cumprir liminares; governo recorre

Divulgação

O secretário de Saúde de Mato Grosso, Eduardo Bermudez, teve um pedido de afastamento do cargo determinado pela Justiça do Estado no dia 17 deste mês.

A decisão é da juíza da Vara Especializada de Ação Popular e Ação Civil Pública, Célia Regina Vidotti, que atendeu pedido do Ministério Público do Estado, porque o gestor descumpriu liminares para compra de medicamentos de urgência para pessoas carentes.

No início deste ano, Célia Regina Vidotti mandou intimar Bermudez para saber se ele estava cumprindo uma sentença determinando a compra dos medicamentos Alfadornase 2,5 mg e das enzimas Pancreatina 25.000 UI e Colistimetato sódico 1.000.000 UI. Estes medicamentos são usados em pacientes com caso de fibrose cística.

Em resposta à Justiça, Eduardo Bermudez argumentou que novas licitações estavam em andamento para compra dos medicamentos.

Em nota, na tarde desta quinta-feira, o Governo do Estado se posicionou sobre o assunto e alegou que vai recorrer da decisão da Justiça em afastar o secretário de Saúde do cargo.

Para efeitos de publicidade e transparência, o Governo do Estado de Mato Grosso informa que a ação que culminou com a decisão de afastar o secretário estadual de Saúde Eduardo Bermudez é do ano de 2001 e que a primeira decisão referente a este caso é de 2008.

O Governo do Estado esclarece que reconhece os problemas existentes na prestação de serviços de saúde pública, mas que tem trabalhado de forma árdua e sistemática para enfrentá-los e transformar essa realidade.

Um exemplo disso é o alcance de 80% no estoque de medicamentos da Farmácia de Demanda Especializada, mais conhecida como Farmácia de Alto Custo.

O estoque vem sendo mantido neste percentual desde a segunda quinzena do mês de novembro, o que não ocorria há aproximadamente três anos.

O Governo de Mato Grosso informa também que vai recorrer da decisão judicial.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *