https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2019/09/Jean_Clini_Urus_Steakhouse-3.jpeg

URUS STEAKHOUSE

Como empresário tem resgatado sabor e qualidade da carne em MT

Divulgação

Quando a ideia de abrir um restaurante especializado em cortes premium em Mato Grosso era um sonho distante, o empresário Jean Clini ainda não sabia muito sobre este mercado, mas tinha uma certeza absoluta: queria resgatar a cultura da criação de gado a pasto e, portanto, o conceito “grass fed”.

Em tradução literal, “grass fed” ou “alimentado de grama”, significa que toda carne deste método provém de gado nutrido somente de pasto, e não de grãos, como soja ou milho. Assim, a carne é de alto valor nutritivo e livre de hormônios e antibióticos. Crescente nos Estados Unidos, grande consumidor de carne vermelha, aqui o método pode ser encontrado no vizinho Uruguai e começa a ganhar espaço em Mato Grosso.

O grass fed é exatamente o que Clini imaginava para seu negócio, além, claro, de saber que desejava a redução de intermediários entre o produtor e os consumidores.

No caso do Urus Steakhouse, que levou 12 anos para sair do sonho e se tornar realidade, o empresário teve que colocar o pé na estrada para encontrar pessoas que tivessem a mesma linha de pensamento e simplicidade que ele. Foi assim, por exemplo, que nasceu o Taurino Tropical, um melhoramento genético desenvolvido por meio da raça 100% brasileira Caracu.

“É preciso encontrar os parceiros ideais e com a mesma linguagem que a sua, para que haja, desde o começo, uma harmonia. Assim, o pecuarista José Neves, da fazenda Arinos, em Diamantino (183 km de Cuiabá), se tornou o fornecedor não apenas da nossa carne, mas do conceito por trás de tudo que pensei por anos”, destaca Jean Clini.

De fato, a comida no Urus Steakhouse não é só uma refeição. Ela tem história. Diferente da grande maioria das carnes vermelhas consumidas no Brasil, a do restaurante não vem de um processo mecânico, quase industrial, do gado de confinamento.

O gado é criado a pasto, característica que reflete na saúde do animal e, portanto, no sabor da carne. “Quando vemos estudos ou pesquisas sobre os malefícios da carne vermelha, é sempre com gado confinado, que é um animal estressado, que come uma ração que não deveria ser seu alimento principal, que está em um ambiente que não é o dele, em um lugar apertado. Todos esses fatores somados levam a uma perda proporcional da qualidade da carne. Por outro lado, a pastagem é rica em ômega 3, que é uma gordura poli-insaturada, reconhecidamente benéfica para proteção da saúde cardiovascular e cerebral”, afirma o médico com formação em Cirurgia Vascular e especialista em Nutrologia, Wilson Rondó Jr.

Para Clini, no entanto, o confinamento é algo tão comum na realidade da pecuária hoje do Brasil que é preciso, sempre que possível, reforçar o caminho contrário do Urus e os motivos de tê-lo escolhido. “Todas as nossas escolhas são bem pensadas, nossos passos bem dados e com foco em qualidade. Mas não só isso. Há 12 anos o Urus era um sonho e, hoje, só é possível porque levamos a sério não só o conceito grass fed, mas também cada pessoa envolvida neste processo, desde os fornecedores até nossos clientes”.

Urus Steakhouse – O Urus Steakhouse abriu as portas, juntamente com seu açougue, o Butcher Shop, no dia 31 de março de 2019. O restaurante conta com carnes premium e o açougue, além de vender estes cortes especiais, conta também com opções de cortes populares. Saiba mais: urussteakhouse.com.br/ e instagram.com/urussteakhouse

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Mais