https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2019/10/a4ecb205d68566c256f2bca246681c6d.jpg

GARIMPO EM ARIPUANÃ

Prefeito cita "motim, revolta e violência" e decreta situação de emergência

Divulgação

O prefeito de Aripuanã, Jonas Rodrigues da Silva, decretou situação de emergência social no município devido à desocupação do garimpo ilegal de ouro, localizado na serra do Expedito. A informação consta em publicação do Diário Oficial do Estado (DOE) desta quarta-feira (9).

O Prefeito Municipal de Aripuanã, Estado de Mato Grosso, no uso de suas atribuições legais e com amparo no artigo 69, inciso V, da Lei Orgânica Municipal; CONSIDERANDO que no dia 07/10/2019 foi conferido início à execução da 2ª Fase da Operação Trypes, que visa por fim à extração e comercialização ilegal de ouro neste Município, e que aproximadamente 2.000 (duas mil) pessoas encontram-se desalojadas na sede desta cidade, em situação de vulnerabilidade social, e, em sua grande maioria, sem recursos financeiros para se alimentarem e retornarem às suas cidades de origem”, diz trecho do decreto.

A prefeitura alegou que não tem condições financeiras para atender as necessidades básicas dos garimpeiros, já que há também inúmeras pessoas descontentes com o fechamento do garimpo, o que tem provocado manifestações de toda ordem pelas vias públicas do município, que poderão originar motim, revolta e violência, cita o prefeito ao decretar a situação de emergência.

As Secretarias Municipais de Infraestrutura, Assistência Social e Saúde deverão ficar em alerta máximo, priorizando ações emergenciais humanitárias no Município.

Todos os órgãos e entidades do Município deverão igualmente manter-se em alerta, priorizando as ações e atividades requeridas ou solicitadas pelas Secretarias indicadas, podendo ser requisitado bens e servidores para tarefas emergenciais. 

Os órgãos e entidades do município autorizados a realizarem ações de apoio e suporte necessários para amenizar a situação de emergência social enfrentada, mediante ações de apoio a indivíduos e famílias desalojadas e provimento de condições para o deslocamento dos indivíduos e famílias às suas cidades de origem.

Delegado da Polícia Federal (PF), Marcos D’Angelo, afirmou que o processo que desocupação do garimpo  deve ser finalizada até quinta-feira (10). Segundo ele, agentes da PF trabalham na destruição dos bens que ocupam a área.

A expectativa é que após o fim da operação, um estudo seja realizado para analisar os danos causados ao meio ambiente.

Operação Trype 

A Polícia Federal desencadeou  na madrugada da última segunda-feira (07) a  2ª  fase da Operação Trype. Essa  etapa tem  objetivo de cessar as atividades de um  grande garimpo de ouro ilegal no município. A ação conta com apoio do Bope.

De acordo com as investigações, além  do  impacto ambiental  na região,  o garimpo ilegal  estaria causando  grande devastação social  no município com aumento do índice de homicídios, tráfico de drogas, prostituição etc.

Houve confronto e um garimpeiro morreu. Ele tentou atirar em um policial e acabou sendo baleado. O homem foi socorrido, mas morreu no hospital.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 10 de outubro de 2019 às 11:12:14