https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2021/05/0293258e8483f183467ec21c9656b2e5.jpg

PLEITO 2022

Gisela afirma não ter a ver com a saída de João Batista da presidência do Pros

DA REDAÇÃO / LUIZA VIEIRA / DO LOCAL - ANA MARIA
redacao@matogrossomais.com.br

MidiaNews

Gisela Simona (PROS), em uma entrevista exclusiva para o site Mato Grosso Mais e ao programa Passando a Limpo, na tarde desta terça-feira (25), revelou não ter a ver com o afastamento do Deputado João Batista (PROS) da presidência do Partido Republicano da Ordem Social em Mato Grosso.

Diante de rumores que a futura candidata a deputa federal, para as eleições 2022, estaria ainda ressentida com o parlamentar que não a apoiou durante as eleições 2020, em que Simona disputava o executivo cuiabano e, que por isso Batista foi retirado da liderança do partido, ela negou e atribuiu o afastamento às regras do estatuto da sigla.

Não, não tem nenhuma influência, né? Até porque, o que nós temos é o final de mandato. O estatuto do Pros ele diz que o diretório tem dois anos de gestão, esses dois anos se iniciaram dois de maio de 2019 e terminaram agora, dois de maio de 2021. O que ocorre da insatisfação do prazo é exatamente porque da eleição de maio de 2019. Essa ata para registrar, ela demorou até novembro de 2019, então hoje, o que o deputado defende é que deveria ser a data do registro e não da convenção, só que o estatuto é muito claro sobre isso“, declarou ela.

Ainda questionada sobre como vê a sigla atualmente e se está gostando do que vem acontecendo dentro do Pros, Gisela disse, já justificando mais uma vez a necessidade da saída de Batista da liderança de acordo com as normas do partido e a organização para o pleito 2022.

Tô satisfeita. É, na verdade, o que ocorre, assim, o partido dentro dessa construção de ser um partido novo no país, o Pros é um partido que tem oito anos no Brasil. Por conta disso, tem algumas regras muito claras e transparentes. Já havia tido uma conversa do presidente nacional, que para nós, internamente, criássemos as regras para essa nova eleição, que nós teríamos alguém no comando do partido que não fosse um dos que disputariam a eleição“, disse Simona, que ainda completou.

Então, considerando hoje, as lideranças que nós temos, por exemplo, o deputado João Batista tem mandato, vem reeleição. Eu pretendo vir a candidata a deputada federal, então estar nesse momento formando as regras internas para a eleição de 2022, poderia gerar a desconfiança em terceiros de que nós estamos querendo só nós ganharmos a eleição“.

Gisela concluiu afirmando que o afastamento do deputado foi um acordo entre ela própria, João Batista e a liderança do partido, haja vista que já estava decidido que a sigla teria na liderança de Mato Grosso alguém neutro e que não fosse concorrer as eleições de 2022, o que não é o caso dela e nem do deputado que almeja a reeleição.

Nesse contexto houve um acordo com as lideranças do partido, incluindo eu, incluindo o deputado João Batista de que nós tivéssemos alguém neutro nesse período para que junto com o grupo formar as regras para 2022“, finaliza.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 26 de maio de 2021 às 17:57:46