https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2019/06/img20190314111330708MED.jpg

PAUTA POLÊMICA

Deputado de Mato Grosso defende flexibilização de armas; veja vídeo

Câmara de Deputados

O deputado federal Emanuel Neto (PTB), o Emanuelzinho, afirma que é a favor do decreto que flexibiliza a posse e porte da arma. Em entrevista ao , o parlamentar pontua que vai continuar defendendo a pauta no Congresso Nacional.

“Vou conversar com o partido para gente bater o martelo nesse sentido, mas no primeiro momento, antes de discutir com os parlamentares da casa, o meu consentimento é favorável ao projeto”, afirma.

Para Emanuelzinho, o decreto atende a população no combate à criminalidade e no fortalecimento da segurança pública. “Existe um desejo muito grande da população brasileira de se combater a insegurança. Nós temos hoje mais de 64 mil homicídios por ano, mais de mil homicídios só no Estado de Mato Grosso e a população está cansada disso”, explica.

As declarações ocorrem após o Presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), ser derrotado no Senado que por 47 votos a 28, aprovou o parecer da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) que pede a suspensão dos decretos que facilitaram o porte de armas.

Bolsonaro vem tentando, sem sucesso, nos últimos meses ampliar, por decretos, as permissões para porte de arma, o que ele considera uma promessa da campanha eleitoral.

Emanuelzinho esclarece que só a medida não é suficiente, é necessário um trabalho conjunto entre o Poder Federal e Estadual no combate a criminalidade.

“Tem que se haver uma intensa fiscalização do governo federal junto aos governos estaduais para que a posse de arma não se transfira para o porte de arma irregular, o que pode oferecer um risco a sociedade”, finalizou.

Derrota no Senado

Após a derrubada do Senado na última terça-feira (18), Bolsonaro resolveu revogar na última terça (25) dois decretos que facilitavam o porte de armas de fogo, assinados em maio. No entanto, editou três novos decretos e enviou ao Congresso Nacional um projeto de lei sobre o mesmo tema.

O pacote já havia sido alvo de críticas. Em julho deste ano, pesquisa do Ibope realizada em março, após o primeiro decreto do presidente Jair Bolsonaro, apontou que 73% dos entrevistados eram contrários à flexibilização de porte de armas para cidadãos comuns e 26% são favoráveis.

O presidente da Câmara de Deputados, Rodrio Maia (DEM-RJ), se comprometeu a votar o novo projeto do porte em até 45 dias.

Veja vídeo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Mais


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 27 de junho de 2019 às 08:56:15
  • 27 de junho de 2019 às 08:55:26