https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2019/07/dddb81eb2c9c44a021ca80b67ade1f06-e1563474095750.jpg

AGRESSÃO VERBAL

Presidente do Internacional chama juiz de 'safado' e árbitro relata ocorrência na CBF

Rodrigo Ziebell/AE

Rafael Traci, ábitro da partida entre Internacional e Palmeiras, na última quarta-feira (17), foi ofendido por Marcelo Medeiros, presidente do time gaúcho, e por Roberto Mello, vice-presidente de futebol e ralatou na súmula do jogo entregue para a CBF (Confederação Brasileira de Futebol).

Quando o trio de arbitragem se dirigia aos vestiários após a disputa, eles passaram por Medeiros,  concedia uma entrevista coletiva. O dirigente interrompeu as perguntas para xingar Traci, devido à anulação do gol de Cuesta, aos 48 minutos do segundo-tempo, e à expulsão de D’Alessandro.

De acordo com o relato, os árbitros se sentiram ofendidos com as palavras de presidente. “Após o final da partida, quando eu e a equipe de arbitragem nos dirigiámos para o vestiário de arbitragem, fomos abordados pelos Srs. Marcelo Medeiros e Roberto Mello, que de forma agressiva e acintosa, nos acompanharam até as proximidades do vestiário de arbitragem, proferindo repetidamente as seguintes palavras: ‘Safado, sem vergonha, c…, ladrão. A tua família tem vergonha de ti.’ Informo que nos sentimos ofendidos diante de tais atitudes. Ressalto que ambos tiveram que ser contidos pelo policiamento, que nos conduziu até a porta do vestiário”, escreveu Rafael Traci.

Na entrevista coletiva, o vice-presidente de futebol foi duro com a arbitragem. “Foi uma vergonha o que houve aqui hoje. O Palmeiras não precisa disso nem tem culpa. Já é uma dificuldade enfrentar a melhor equipe, o melhor treinador. Eu assisti aos lances, e ninguém sabe o que o juiz marcou’, afirmou Roberto Mello.

O Internacional e os dirigentes podem ser punidos pelo STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) com o relato da arbitragem.

Na partida, Rafael Traci usou o árbitro de vídeo em duas situações. Na primeira, anulou um pênalti a favor do Palmeiras, pois viu que Felipe Melo não havia sido tocado por Edenilson.

A outra situação foi a anulação do gol marcado por Cuesta. Pelo vídeo, o juiz concluiu que houve uma falta em Felipe Melo antes do escanteio que originou o segundo do Internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Mais