https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2020/03/WhatsApp-Image-2020-03-09-at-15.25.51.jpeg

APÓS CASSAÇÃO

Vereadores e deputado se reúnem com Bustamante para pedir segurança a Abílio Jr

Da assessoria

Preocupados com a integridade física e segurança do vereador cassado Abílio Júnior (PSC), alguns parlamentares, que votaram contra a cassação na última sexta-feira (06), foram até a Secretária de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT), na tarde desta segunda-feira (09), para conversar com o secretário Alexandre Bustamante.

Os vereadores Abílio Júnior (PSC), Dilemario Alencar (PROS), Wilson Neto Kero (PSL) e o deputado Ulisses Moraes (PSL) se reuniram com Bustamante e o secretário-adjunto de Inteligência  Wylton Massao Ohara, e entregaram um ofício que também foi assinado por Felipe Wellaton (PV), Lilo Pinheiro (PDT) e Diego Guimarães (PROGRESSISTA).

Eles alegam que, por conta dá atuação de Abílio na área da saúde, do transporte coletivo, dos semáforos inteligentes, da licitação da coleta de lixo, da merenda escolar, do processo seletivo e da CPI do Paletó, o pedido se justificaria para assegurar a integridade física vereador cassado.

A comissão disse não ter nenhuma prova, mas a preocupação com o bem-estar do social cristão é forte, e iniciou uma discussão sobre o uso da estrutura da prefeitura para atingir os vereadores de oposição.

Os oposicionistas ao prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) colocam que essas fiscalizações contrariaram vários interesses de grupos empresariais e políticos, e que também culminou na prisão de pessoas, por isso, o receio.

Além da preocupação com a segurança de Brunini, os vereadores dizem que estão sendo vítimas de crimes virtuais e vão pedir um canal direto com delegado responsável pela Gerência Especializada de Crime de Alta Tecnologia (Gecat), para que possam denunciar e pedir investigações de crimes como fake news, que têm, segundo eles, único intuito de denegrir a imagem deles.

Abílio foi cassado em uma sessão extraordinária de 14 horas, ocorrida na Câmara de Vereadores de Cuiabá, na última sexta-feira (06), e teve 14 votos pela sua cassação e 11 votos contra, e está inelegível por oito anos por quebra de decoro parlamentar.

Os vereadores que votaram contra a cassação foram, Vinícius Huguenei (PROGRESSISTA), Clebinho Borges (DC), Abílio Júnior (PSC), Dilemario Alencar (PROS), Felipe Wellaton (PV), Gilberto Figueiredo (PSB), Lilo Pinheiro (PDT), Marcelo Bussiki (PSB), Sargento Joelson (PSC), Wilson Neto Kero (PSL) e Diego Guimarães (PROGRESSISTA).

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 10 de março de 2020 às 12:55:29