https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2020/05/xfuzis.jpg.pagespeed.ic_.cgQiNiTilO.jpg

COMPLEXO DO ALEMÃO

Operação policial no Complexo do Alemão tem 10 mortos, entre eles chefe do tráfico do Pavão-Pavãozinho

Reprodução

Dez pessoas morreram durante uma operação das polícias Civil e Militar no Complexo do Alemão, na Zona Norte do Rio, nesta sexta-feira.

Entre elas estão o chefe do tráfico do Morro Pavão-Pavãozinho, que fica na Zona Sul da cidade e um de seus seguranças, informou o delegado Marcus Amim, titular da Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos da Polícia Civil (Desarme).

Leonardo Serpa, o Léo Marrinha, estava escondido na comunidade. Foram apreendidos na ação oito fuzis foram apreendidos.

Cinco dos mortos chegaram a ser socorridos por PMs para o Hospital estadual Getúlio Vargas, na Penha, também na Zona Norte. Outros cinco foram transportados por moradores até a parte baixa da favela.

De acordo com o coronel Mauro Fliess, porta-voz da PM, as equipes ficaram reduzidas quando os baleados começaram a ser transportados. Com isso, quem ficou para trás acabou não conseguindo chegar aos demais baleados.

— Eram muitos tiros, granadas sendo lançadas pelos próprios comparsas. Havia a noção de que poderia haver mais feridos, mas as equipes não conseguiam alcançar os locais onde eles estavam, porque havia reação (dos bandidos). E com a equipe menor não havia como — disse o coronel.

Durante a ação, um policial militar foi ferido por estilhaços no rosto. Ele foi socorrido para o Hospital Central da PM, no Estácio, na Zona Norte, onde passa por uma cirurgia.

A ocorrência seguiu para ser registrada na Delegacia de Homicídios da Capital (DHC), onde os policiais militares prestam depoimento.

A operação começou no início da manhã. Moradores do Alemão usaram as redes sociais para relatar intensos tiroteios durante a ação que, segundo a Polícia Militar, era para checar denúncias sobre o paradeiro de um criminoso apontado como liderança do tráfico de drogas local e verificar informações sobre a localização de uma casa usada como esconderijo de fuzis na comunidade.

Pânico e aglomeração por segurança

Moradores usaram as redes sociais para relatar o pânico com o intenso confronto. Além da Desarme, havia no local equipes do Batalhão de Operações Especiais (Bope).

“Gente, a situação tá muito séria aqui no Complexo do Alemão!!! Muitas pessoas baleadas! Cara, chorando muito”, escreveu Renê Silva, criador do jornal “Voz da Comunidade”.

De acordo com o perfil do Facebook da publicação, uma granada foi lançada num beco na localidade Nova Brasília, destruindo parte de uma casa. Um vídeo mostra o local.

O ativista Raull Santiago usou seu perfil no Instagram para comentar a situação:

veja vídeo

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *