https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2020/08/WhatsApp-Image-2020-08-26-at-18.14.34.jpeg

SUSPENSÃO DO ACORDO COLETIVO

Trabalhadores dos Correios em greve realizaram manifestação

Da assessoria

Da assessoria

Os trabalhadores nos Correios em Mato Grosso realizaram nesta quarta-feira uma carreata pelas principais ruas e avenidas de Várzea Grande e Cuiabá. O ato foi em protesto à suspensão do acordo coletivo da categoria, definido pelo Supremo Tribunal Federal no último dia 21.

Na lista, dos direitos retirados estão: vale alimentação, vale cultura, licença maternidade de 180 dias, auxílio creche, indenização de morte, auxílio para filhos com necessidades especiais, pagamento de adicional noturno e horas extras.

E, além disso, os trabalhadores sofrerão descontos na folha de pagamento já a partir deste mês de agosto apesar da empresa negar .

A categoria está em greve nacional desde o dia 18 de agosto contra a privatização da estatal e a derrubada do Acordo Coletivo 2019/2021 além de reivindicar melhores condições de saúde.

A concentração começou às 15 horas, no CTCE de Várzea Grande. Em seguida a carreata saiu pelas ruas centrais de VG. Seguindo para Cuiabá indo para a unidade dos Correios no Coxipó.

A manifestação encerrou por volta de 18h45 no monumento Ulisses Guimarães.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios, Telégrafos e Similares em Mato Grosso (Sintect-MT), Edmar Leite, disse que a greve será mantida, mesmo com o dissídio coletivo aberto no TST.

Segundo Leite, não dá para confiar na empresa. “Ano passado foi a mesma coisa. Foi assinado o Dissidio na mesa do TST e agora eles recorreram ao STF para derrubar”, disse.

“Sem acordo coletivo de trabalho, não dá para exercer as atividades porque houve uma perda de 60% no poder de compra de cada trabalhador com as cerca dos 70 direitos derrubados”, disse Edmar.


Fotos e vídeo

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 27 de agosto de 2020 às 13:36:02
  • 27 de agosto de 2020 às 13:35:10