https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2021/09/51508152640_217aa97d45_k.jpg

CÂMARA DE CUIABÁ

Botelho comenta sobre presidência e desmente guerra com Max

DA REDAÇÃO / LEONARDO MAURO - DO LOCAL / LUIZA VIEIRA
redacao@matogrossomais.com.br

Câmara de Cuiabá

O primeiro secretário da Assembleia Legislativa (ALMT), Eduardo Botelho (DEM), comentou na manhã desta quinta-feira (23), sua ida a Brasília e a situação do julgamento que pode reconduzi-lo para a principal cadeira do legislativo mato-grossense e ainda disse que, não existe clima de guerra entre ele e o presidente da ALMT, Max Russi (PSB).

“É um assunto que eu entendo que todos os ministros votam, é o Pleno, é muito difícil você fazer uma previsão em cima disso e até uma gestão. Eu acho que somos muito pequenos para essa briga, eu não vou entrar nessa discussão, eu não teria influência nenhuma com ministros ou com decisão de ministros. Eu também tenho essa opinião que contratar uma banca de advogados para fazer alguma representação não vai alterar em nada, então a minha posição é uma posição de esperar e aguardar”, argumentou Botelho.

O parlamentar rechaçou ainda informações que circularam em alguns meios de comunicação, onde colocaram o primeiro secretário em rota de colisão com o presidente do Parlamento Estadual. “Se for para ficar o Max tá ótimo, se for para eu voltar, está bom”.  

“Hoje alguns jornais aí colocaram que eu to em guerra com Max, não é verdade, não tem guerra nenhuma entre eu e ele, estamos muitos tranquilos e conscientes. Ele está procurando o direito dele que é justo, ele está na presidência, ele entende que teve uma eleição e deve ficar, ele tem esse direito”, disse o democrata.

O julgamento 

O julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF) que pode reconduzir o deputado estadual Eduardo Botelho (DEM) ao comando da Assembleia Legislativa de Mato Grosso já conta com abertura para duas vias, uma para deixar o parlamentar fora da presidência e outra para conduzi-lo.

O relator do caso, ministro Alexandre de Moraes deu parecer pelo afastamento imediato de Botelho da presidência. Mas, a divergência foi aberta pelo ministro Gilmar Mendes.

O Plenário Virtual do STF iniciou nesta semana o julgamento da Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) que pode reconduzir o deputado Eduardo Botelho à presidência da Assembleia Legislativa.

A data prevista para o fim do julgamento é o dia 24 de setembro.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 23 de setembro de 2021 às 19:09:43
  • 23 de setembro de 2021 às 18:59:48