https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2021/09/INFLACAO.png

EM 2021

Inflação do aluguel sobe 17,78%; segunda maior alta desde 2002

METRÓPOLES / TALITA LAURINO
[email protected]

Michael Melo/Metrópoles

A inflação do aluguel encerrou o ano de 2021 com alta de 17,78%. O índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) ficou em 0,87% em dezembro, de acordo com informações divulgadas pela Fundação Getulio Vargas, nessa quarta-feira (29/12).

No mesmo período do ano passado, o índice havia subido 0,96% e acumulou alta de 23,14% em 2020. Apesar da desaceleração, o IGP-M obteve a segunda maior alta anual desde 2002.

Desde o início da pandemia da Covid-19, quando o setor de habitações sofreu um boom, o índice tem subido bem acima da inflação oficial do país, medida pelo IPCA.

Entre os três componentes que pressionaram essa alta, estão as matérias-primas, commodities e produtos industriais. A disparada impacta diretamente famílias que moram de aluguel.

Composição do IGP-M

  •  Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA): possui peso de 60% na composição da inflação do aluguel. Subiu 0,95% em dezembro puxado pelos bens intermediários (38,37%), produtos industriais (22,22%) e produtos agropecuários (16,65%);
  • Índice de Preços ao Consumidor (IPC): possui peso de 30% na composição da inflação do aluguel. Subiu 0,84% em dezembro, com pressão vinda do grupo transportes (18,84%) diante da disparada dos combustíveis.
  • Índice Nacional de Custo da Construção (INCC): peso de 10% no IGP-M. Avançou 0,30% em dezembro, puxado pelos custos de materiais, equipamentos e serviços (21,45%).

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *