http://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2019/07/WWWWIMG_9146.jpg

Cuiabá, segunda, 15 de julho de 2019

GREVE NA EDUCAÇÃO

Mendes diz “não” para acordo feito entre ALMT e Sintep

MATO GROSSO MAIS

Mato Grosso Mais

O governador Mauro Mendes (DEM) disse “não” a proposta construída entre a Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) e os profissionais da Educação em parcelar o reajuste de 7,69%, aos servidores, e que fosse pago em três parcelas, até fevereiro de 2020, para encerrar a greve na categoria que já dura mais de um mês.

“Nós já respondemos à Assembleia, da mesma forma que já respondemos a todos, inclusive ao Sindicato, numa reunião que nós tivemos aqui com eles, dizendo clara e objetivamente. Existe uma Lei de Responsabilidade Fiscal, Federal, que ela é superior as Leis estaduais hierarquicamente, e diz claramente, estourando o limite de gastos com pessoal, nós ficamos impedidos de dar qualquer aumento na folha salarial. Nada disso mudou na última semana, nos últimos meses, enquanto não mudar, nós não temos condições”.

A fala de Mendes foi durante coletiva de imprensa, na tarde desta sexta-feira (12), no Palácio Paiaguás, sobre a publicação do decreto (n° 167) que regulamenta a Lei Estadual n° 10.861, a qual permite a formalização de parcerias sociais (PPP Social) entre o Estado e as associações, principalmente de produtores rurais, para obras e ações na área de infraestrutura, incluindo rodovias, aeroportos e hidrovias.

Mendes foi questionado pelos jornalistas sobre duas situações envolvendo a ALMT.

A primeira é se, nesse momento, os deputados não estariam provocando um desconforto ao criar uma proposta aceita pelo Sindicato dos trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso.

A segunda é a possível obstrução da pauta caso o Estado não atenda o acordo feito entre os parlamentares com a categoria para encerrar a greve, com isso, a votação da mensagem que trata sobre a reinstituição dos incentivos fiscais, que tem prazo até o dia 31 de julho, seria prejudicada.

“Se a obstruir a pauta faz mudar a Lei de Responsabilidade Fiscal ou faz entrar mais dinheiro no caixa, ok, sem problemas. Se fazer proposta resolver o problema da LRF ou fazer entrar dinheiro no caixa, ok, problema resolvido. Nada disso aconteceu. Eu respeito a Assembleia. Eles têm uma dinâmica muito mais voltada ao diálogo, e é importante que eles façam esse diálogo. Nós estamos aqui para ouvir, mas decidir sobre a verdade e fatos concretos. Não vamos fazer uma administração irresponsável”.

Colaborou Leonardo Mauro.


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 12 de julho de 2019 às 16:49:13
  • 12 de julho de 2019 às 16:17:20

2 respostas para “Mendes diz “não” para acordo feito entre ALMT e Sintep”

  1. Aricidelma disse:

    São atitudes como essa q deixa a gente indignada com os políticos pq, dar grana p vereadores passar umas férias depois d não fazerem nada tem, gastar com propagandas p deniglir os profissionais da educação tem, dar aumentos aos deputados q já tem salários absurdos tem, mais p pagar esse aumento dos professores aí já não tem, não dá, já ultrapassa a lei sei lá das qtas. É revoltante!!

  2. Candida disse:

    Como meu saudoso pai dizia ” um homem sem palavras vale menos que merda de gato”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *