https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2019/10/adevair-cabral-785x466.jpg

SEM JUSTA PROVA

MPE pede o arquivamento de investigação contra Adevair Cabral

Divulgação

Por falta justas de provas, o Ministério Público Estadual (MPE) decidiu arquivar um inquérito contra vereador Adevair Cabral (PSDB). O inquérito havia sido aberto por uma denúncia anônima de que a sede reativa da Associação dos Servidores da Prefeitura de Cuiabá (Aspe) estaria sendo usada pelo tucano para promover prostituição de menores.

O MPE investigou o caso, foi até o clube da Aspe e, segundo o caseiro do local, há quatro meses não há festas no local. O Ministério Público foi informado de que as festas ditas na denúncia poderiam estar acontecendo no Club do Jonathan, localizado atrás do Clube da Aspe.

Um vizinho do referido clube colaborou com as investigações e informou que festas acontecem com frequência no Clube do Jonathan e que os participantes são pessoas suspeitas.

Sustentou ainda que já ouviu tiros no local e que a polícia já chegou a fechar festas no clube que é todo murado e dificulta a visibilidade do que acontece lá dentro.

Além de Adevair também foi denunciado Jaburitã Francisco Nunes, ele foi procurado na investigação e passou as informações sobre “bagunça” no clube dos fundos. Ele reforçou que no clube da Aspe há placas que informam sobre sobre a proibição de som automotivo no local.

Diante disso, o Ministério Público promoveu o arquivamento or falta de justa prova contra o vereador.

Quanto ao clube da Aspe, de onde Adevair tem ligação, funcionários disseram que o local é frequentado por família de servidores da Prefeitura de Cuiabá.

Adevair também é acusado de assédio contra servidora da Prefeitura de Cuiabá. O vereador teria mandado uma foto íntima à servidora.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 8 de novembro de 2019 às 08:49:21