https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2020/01/41ca292b1307e5c8c653269912775d5b.jpg

NOVO CENÁRIO

Mauro cita Pivetta como fato novo e reavalia apoio a Fávaro ao Senado

O governador Mauro Mendes (DEM) vai esperar a definição das convenções partidárias no mês de março para definir se ficará neutro na eleição suplementar ao Senado, em 26 de abril, ou se apoiará algum candidato. Inicialmente, ele acenou com o apoio ao terceiro colocado nas eleições em 2018, Carlos Fávaro (PSD), mas admitiu rever sua posição diante do aparecimento de um fato novo, que foi a candidatura do vice-governador Otaviano Pivetta (PDT).

Em entrevista concedida nesta sexta-feira (24) para o Programa Tribuna, da Rádio Vila Real, Mendes disse que, no momento, seu foco é cuidar das coisas do governo e que prefere aguardar as definições em relação às várias candidaturas que já estão colocadas. “Sempre fui de posição, mas hoje o maior lado é defender os interesses da população. O foco é entregar resultados e isso está acontecendo, com obras entregues no interior, no Sul, Norte, Araguaia, Região Oeste. O governo voltou a devolver os impostos [em forma de obras] que o cidadão paga”, disse o governador

Nos últimos dias, integrantes do governo vêm se manifestando em relação ao envolvimento de Mauro Mendes em apoiar algum candidato na eleição ao Senado. Enquanto seu secretário de Governo e também presidente do Diretório Municipal do Democratas em Cuiabá, Alberto Machado, defende a neutralidade de Mendes nas eleições, devida a sobrecarga de suas atribuições, o secretário-chefe da casa Civil, Mauro Carvalho, entende diferente. Para Carvalho, Mauro Mendes sempre fez os enfrentamentos necessários e no momento oportuno, depois das definições dos candidatos, deve anunciar sua posição.

Nesta sexta-feira, Mendes deixou claro que primeiro vai esperar a definição do quadro eleitoral, para só depois tomar uma decisão. “Vamos esperar primeiro definir o cenário. Quem é e quem não é candidato. Não posso dizer quem vou apoiar se não sei quem são os candidatos”, explicou. “Dois ou três dias depois da definição vou ter uma posição clara, se vou ficar neutro ou apoiar alguém”, acrescentou.

A respeito da candidatura do seu vice-governador na eleição que vai definir quem ocupará a vaga da senadora cassada Selma Arruda (Podemos), Mauro Mendes disse que preferia que Otaviano Pivetta ficasse ao seu lado trabalhando por Mato Grosso.  “Tenho muito respeito por Pivetta. Fui surpreendido quando soube [da decisão de disputar o Senado]. É uma pessoa honesta. Gostaria que ficasse aqui, parceiro, dedicado, mas como bom amigo saberei respeitar”, disse o governador.

Se há algum tempo, Mauro Mendes parecia firme na disposição de apoiar Carlos Fávaro, que integra o governo como chefe do Escritório de Representação de Mato Grosso (Ermat) em Brasília, hoje a certeza já não é tanto. Pelo menos foi o que Mendes deixou transparecer durante a entrevista.

Embora Fávaro possa receber seu apoio, Mendes disse que podem ocorrer fatos novos e ele “tem o direito de mudar de opinião”. Ele admitiu que o fato novo é a disposição do seu vice, Otaviano Pivetta, se lançar candidato.

De qualquer modo, qualquer definição vai ficar mesmo para depois das convenções. “Vamos esperar. Tenho muito trabalho para me ocupar. Trabalho muito, com seriedade e honestidade. Definições políticas, vamos esperar, dar tempo ao tempo”, concluiu.

 

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 27 de janeiro de 2020 às 18:44:59