https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2020/03/30-Judiciário-não-para_.png

PODER JUDICIÁRIO

Em dez dias de teletrabalho, Justiça Estadual bate recorde de sentenças

Divulgação

Nos dez primeiros dias de teletrabalho (20 a 30 de março), em razão do empenho de magistrados e servidores, o Poder Judiciário de Mato Grosso totalizou 41.380 atos processuais, dos quais 10.959 são baixas definitivas, 15.379 sentenças, 1.388 acordos e 13.379 decisões.

Na segunda-feira (30), a Justiça Estadual superou o seu recorde de sentenças prolatadas em um único dia, 3.119, número 38,56% maior que o pico anterior, registrado na última quinta-feira (26), quando foram prolatadas 2.251 sentenças.

Com o objetivo de prevenir a contaminação pelo coronavírus, o Poder Judiciário de Mato Grosso instituiu, por meio de uma portaria conjunta da Presidência e da Corregedoria-Geral da Justiça, o teletrabalho pelo período de 20 de março a 20 de abril.

Em entrevista divulgada à imprensa nesta segunda-feira (30 de março), o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha, anunciou que, para se alinhar à Resolução 313/2020 do Conselho Nacional de Justiça, esse período será estendido até 30 de abril.

Um dos motivos que explicam a alta produtividade durante o período de teletrabalho é o esforço empreendido pelo Poder Judiciário para oferecer ao cidadão serviços online, sem burocracia, com duração de tempo razoável, usando para isso a tecnologia da informação.

Entre essas iniciativas estão a realização de audiências criminais por videoconferência, sem necessidade de tirar o reeducando do presídio; o lançamento do aplicativo que coloca praticamente todos os serviços do Judiciário nas mãos do cidadão; e a criação da plataforma que permite ao juiz assinar documentos e sentenças usando seu celular.

Toda essa inovação permitiu que o Poder Judiciário se adequasse rapidamente às exigências impostas à sociedade para evitar a propagação da Covid-19.

E a tendência é de que essa produtividade aumente ainda mais com o passar dos dias, já que o teletrabalho é uma novidade para a grande maioria dos magistrados, servidores, terceirizados e colaboradores do Poder Judiciário, e, como toda mudança, necessita de um período de adaptação.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *