https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2020/06/3fff69eee480a3008c4e0bee4d876bd9.jpg

FISCALIZAÇÃO

Vistoria constata que hospitais não possuem respiradores para todos as UTI

Luiz Alves

Uma equipe da Prefeitura de Cuiabá realizou, na tarde desta terça-feira (02) uma visita técnica aos hospitais estaduais Santa Casa de Misericórdia e Metropolitano. A vistoria teve como objetivo avaliar os leitos específicos para COVID-19 que o estado disponibilizou no seu Plano de Contingência para que não exista problemas no momento de regular os pacientes que necessitem destes leitos.

A visita foi solicitada no dia 1º de junho pela superintendente da Central de Regulação, Luzinete Siqueira, por meio do Ofício 017/2020, endereçado à secretária adjunta do Complexo Regulador, Fabiana Bardi.

Participaram da vistoria a coordenadora da Central de Regulação, Elaine Souza, o fisioterapeuta do Hospital de Referência para COVID-19 em Cuiabá, Paulo Henrique de Oliveira, além de três enfermeiras técnicas de urgência e emergência.

Um dos pontos que chamou a atenção durante a vistoria é o fato dos dois hospitaiis disponibilizarem um número de ventiladores pulmonares (ou respiradores) menor do que o número de leitos de UTI.

Na Santa Casa foi constatado que a unidade possui 40 leitos de UTI e 28 ventiladores e no Metropolitano são 40 leitos de UTI e 30 ventiladores.

O fisioterapeuta explicou que os ventiladores pulmonares estão entre os itens mais importantes dos leitos de UTI. Ele disse que a ANVISA preconiza que os hospitais precisam ter pelo menos um ventilador para cada dois leitos de UTI, e neste caso a Santa Casa e o Metropolitano se enquadram.

“Para momentos de pandemia e em situações extremas de Síndrome Respiratória Aguda Grave, alguns pareceres técnicos preveem a utilização temporária de um ventilador pulmonar para mais de um paciente em caso de falta de mais aparelhos, mas que devem ser observados alguns critérios para que isso possa ser feito”, comentou. Ainda assim, segundo ele, não é uma situação ideal para o paciente.

O Hospital Referência para COVID-19, que funciona onde é o antigo Pronto Socorro, possui 55 leitos de UTI e um respirador para cada leito. Para o secretário municipal de Saúde, Luiz Antonio Pôssas de Carvalho, essa preocupação de oferecer cada leito de UTI completo para cada paciente é uma determinação do prefeito Emanuel Pinheiro, que faz questão de oferecer um tratamento digno e humanizado, principalmente neste momento tão difícil de pandemia.

A coordenadora da Central de Regulação do Município falou sobre a importância dessa fiscalização para a população da grande Cuiabá. “O município de Cuiabá está presente dentro de todas as unidades hospitalares da capital e de Várzea Grande para conferir e dar mais transparência ao preenchimento dos leitos de Covid-19. Estamos monitorando, avaliando e controlando diariamente para não corrermos o risco de oferecermos leitos disponibilizados no Plano Estadual e os leitos não existirem. Queremos garantir que ao fazer a regulação, possamos garantir que os pacientes sejam encaminhados rigorosamente para o leito.

Elaine explicou que para melhor aproveitamento é imprescindível que a Central de Regulação saiba exatamente quantos leitos estão prontos para receber os pacientes, onde eles estão e o censo diário. “Precisamos saber o máximo possível de informações para sabermos que tipo de pacientes vamos mandar para qual unidade hospitalar. Há hospitais que só recebem pacientes confirmados de COVID-19, há os que recebem pacientes com suspeita também, por isso precisamos saber tudo para acompanharmos como está acontecendo a distribuição dos pacientes para não termos problemas dentro da urgência e emergência, uma vez que ela que regula esses leitos”, explicou.

Para o prefeito, este é o momento de focar no combate à pandemia. “Como todos sabem, Cuiabá atende a saúde do estado inteiro. Neste momento de pandemia, em que os casos crescem a cada dia, precisamos estar bem preparados para suprirmos a demanda por leitos. O planejamento que tínhamos para o PS antigo era transformá-lo de Hospital da Família, mas a urgência do momento nos obrigou a transformá-lo no Hospital de Referência para a COVID-19, onde disponibilizamos 55 leitos de UTI e 170 leitos de enfermaria. E estamos trabalhando ainda para abrir mais 10 UTIs no local. Caso todos os leitos do Hospital de Referência venham a ser ocupados, o próximo passo é usar o Hospital São Benedito, onde já temos 40 leitos de UTI prontos para pacientes de COVID-19. Se ainda assim precisarmos de mais leitos, temos ainda a UPA Verdão, que será usada como hospital de retaguarda para o Hospital de Referência, com mais UTIs e leitos de enfermaria. Acredito que, com todos esses leitos disponibilizados pelos hospitais, conseguiremos vencer essa pandemia com o menor número possível de óbitos. Meu objetivo no momento é salvar vidas, e é para isso que estamos trabalhando muito duro”, concluiu Pinheiro.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 3 de junho de 2020 às 18:50:13
  • 3 de junho de 2020 às 17:30:13