https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2020/01/WhatsApp-Image-2020-01-20-at-14.32.59.jpeg

DOIS RELATÓRIOS FINAIS

CPI do Paletó pede afastamento e cassação do prefeito Emanuel Pinheiro

Leonardo Mauro / Mato Grosso Mais

Com dois relatórios a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Paletó, chega à sua reta final. O presidente Marcelo Bussiki (DEM), e o sargento Joelson (SD), votaram pelo afastamento do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB). Já o parlamentar Toninho de Souza, relator do processo, teve seu voto vencido.

Por 2 votos a 1, a CPI que investiga recebimento de propina e obstrução de justiça, por parte de Emanuel, pediu o afastamento do gestor pelo prazo de 180 dias, e, a criação de uma comissão que pode resultar na cassação do emedebista.

O relator Toninho apresentou um relatório onde não caberia à CPI do Paletó o julgamento de Emanuel, uma vez que os fatos ocorridos teriam sido anteriores ao mandato de prefeito. Já sargento Joelson apresentou um outro relatório apresentando indícios de envolvimento de Emanuel no esquema de recebimento de propina e formação de quadrilha.

Já Bussiki destacou que ficou claro que houve uma intensa movimentação logo depois da divulgação do vídeo na tentativa de blindar Emanuel. Sendo assim, votou com o relatório de Joelson pela obstrução de justiça, além disso, ele lembrou que cabe à Câmara analisar a quebra de decoro do prefeito.

O vereador também pediu ainda que fosse inserido no relatório do Joelson o crime de improbidade administrativa.

Votação 

Neste caso, os dois relatórios foram colocados à votação dos três membros da CPI, e agora será encaminhado ao presidente da Câmara, vereador Misael Galvão (PTB), que deve colocar à votação dos demais parlamentares em sessão plenária.

“Essa votação no plenário pode culminar em um pedido de abertura de uma comissão processante para afastar Emanuel Pinheiro. Talvez possa parecer que este não é o momento para esse tipo de discussão, em razão da pandemia, mas entendo que se nos omitirmos agora estaremos apoiando a corrupção na sua forma mais cruel, a que acontece diante de nossos olhos”, disse Bussiki.

Assista a reunião da CPI

 

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 10 de julho de 2020 às 18:37:29
  • 10 de julho de 2020 às 16:07:47