https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2021/04/30435c337861962d8317a29e985c785a.jpg

DADOS ATUALIZADOS

Prefeitura de Cuiabá erra em percentual de idosos vacinados e total dessa população na Capital 

Luiz Alves

A Prefeitura de Cuiabá informou nesta quinta-feira (22), que o percentual de idosos vacinados na capital, divulgado no dia 17 de abril, foi incorreto, bem como o número total estimado de idosos que vivem na cidade. O Alencastro pediu desculpa e atualizou os números.

Desde o dia 11 de fevereiro até o dia 15 de abril, Cuiabá já tinha vacinado 28.937 pessoas do grupo prioritário composto por idosos, o que representa 37,9% do total dessa população, estimada em 76.168 pessoas na capital.

Ao refazer a soma das populações estimadas de cada faixa etária, chega-se ao número de 76.168 e não de 67.696. No cálculo anterior, havia ficado de fora o número de idosos acima de 80 anos, que é de 8.472. O percentual correto de idosos vacinados em Cuiabá, até o dia 15 de abril, é de 37,9%.

Conforme o levantamento que cruza os dados da vacinação disponibilizada na plataforma Localiza SUS, do Ministério da Saúde, e a estimativa da população por grupos prioritários, que consta em Relatório da Campanha de Vacinação Contra a Covid-19, da Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

Como está o alcance vacinal dos idosos

Conforme os dados apurados, da faixa etária acima de 80 anos, 7.653 dos 8.472 idosos (90,3%) já tomaram a primeira dose. Desses, 5.863 tomaram a segunda dose, faltando 1.790 retornarem para completar o esquema.

Da faixa de 75 a 79 anos, já foram contemplados com a primeira dose 6.962 dos 7.812 idosos (89,1%). A segunda dose desse grupo começará a ser aplicada na próxima terça-feira (20).

No grupo de pessoas com 70 a 74 anos, 9.906 dos 13.172 idosos (75,2%) receberam a primeira dose e ainda não estão no prazo para tomar a segunda aplicação.

Entre as pessoas com 65 a 69 anos, que começaram a ser imunizados na segunda-feira (12), 4.416 dos 19.645 idosos (22,4%) já receberam a primeira dose. A segunda dose desse grupo começará a ser aplicada no dia 10 de maio.

A faixa etária que concentra maior número de idosos cuiabanos é a de 60 a 64 anos, que tem 27.067 pessoas, ou seja, 39,9% do grupo prioritário. Quem está nessa faixa etária começará a ser vacinado conforme o envio de vacinas pelo Ministério da Saúde.

Desafios na cobertura vacinal

O levantamento da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) mostra que, se somados os percentuais de idosos já vacinados em Cuiabá com o de idosos que ainda não receberam nenhuma dose (69,7%), chega-se a um total de 107,6%. De acordo com as equipes que fazem a vacinação dos idosos, essa diferença de pouco mais de 7% se dá porque idosos que não vivem em Cuiabá conseguiram ser vacinados aqui (seja porque possuem residência em seu nome ou no nome de algum familiar) e entraram na conta dos vacinados.

Já no percentual de não vacinados, constam idosos residentes de Cuiabá que se vacinaram em outros municípios ou estados, que vieram a óbito, que contraíram a covid-19 ou outras doenças e estão aguardando 30 dias de pós-recuperação, que estão internados e, por conta disso, sem condições clínicas de serem vacinados, e ainda há o caso de idosos que foram cadastrados para serem vacinados em casa pelas equipes itinerantes, mas não foram encontrados.

“Tem muito dessas situações: às vezes a gente tem um paciente idoso acamado que tomou a primeira dose e, quando a gente volta, já veio a óbito, ou você chega para fazer a primeira dose e já veio a óbito. Tem também os que rejeitam a vacina, não aceitam tomar. Às vezes você chega no endereço e ele não mora mais ali. A gente vai anotando todas essas anotações na nossa planilha de controle. Realmente tem pormenores que dificultam a imunização total dessa faixa etária”, relata Joelma Toledo, coordenadora do programa Melhor em Casa, que faz a vacinação dos idosos acamados.

Atualização dos dados do cartão SUS

A coordenadora ressalta que é de extrema importância que as pessoas façam a atualizam cadastral no Sistema Único de Saúde (SUS) para que as informações da campanha de vacinação sejam fidedignas e o trabalho das equipes seja otimizado. “Às vezes eles se cadastram em um endereço e se mudam e não avisam a gente. Isso acaba prejudicando nosso trabalho. Eles devem fazer a atualização cadastral, isso é responsabilidade da família e também dos agentes comunitários de saúde”, explica Joelma. A atualização do cartão SUS pode ser feita através do aplicativo Conecte SUS, que pode ser baixado gratuitamente no smartphone, ou procurando qualquer unidade básica de saúde.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 22 de abril de 2021 às 16:32:27