http://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2019/02/680abe379c0b487957e64682e291c77e.jpg

Campanha Cuiabá 300 anos Shopping Popular
Cuiabá, quinta, 25 de abril de 2019

TERROR URBANO

Casal invade relojoaria, rouba 6 carros e troca tiros com PM

RAUL BRADOCK

RAUL BRADOCK

Michel Oliveira Candido Leite, 24 anos, e a menor R.S.P., 17 anos, foram presos após invadir uma relojoaria no Centro de Cuiabá, roubar seis carros na fuga e trocar tiros com uma equipe da Rondas Ostensivas Tático Móvel (Rotam). O crime aconteceu na tarde de terça-feira (12), na Avenida João Gomes Sobrinho.

De acordo com o boletim de ocorrência, o casal estava na companhia de outro bandido. Eles invadiram a relojoaria, às 15h30, e amarram e ameaçaram as vítimas de morte.

Quando a PM chegou no local, as vítimas já haviam conseguido se libertar das amarras e repassaram as características físicas dos bandidos. Um dos assaltantes fugiu em uma moto, carregando uma mochila lotada com os objetos roubados.

O casal, no entanto, fugiu armado e roubou o primeiro carro, um Ônix branco, ainda na região da relojoaria. A proprietária do automóvel foi encontrada pela PM pedindo socorro na rua em que estava.

No bairro Areão, o casal abandonou o Ônix e roubou outro carro, um Toyota Etios de cor prata, de outra mulher. Nesta altura do crime, várias viaturas já estavam perseguindo o casal e, inclusive, um helicóptero do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer).

Durante a perseguição, o casal ainda roubou uma caminhonete S-10, um Fiat Mob, um HB-20 e, por último, um Renault Fluence. Todos foram abandonados pela dupla durante a perseguição.

Com o último carro roubado, o casal tentou bater em uma viatura da Rotam, que atirou para impedir o ataque criminoso. Alguns policiais quase foram atropelados.

Após os tiros, o casal abandonou o Fluence roubado e tentou fugir correndo. A menor foi a primeira a ser detida. Michel ainda escapou dos tiros da PM, ao correr apontando uma arma em direção aos policiais.

O casal foi algemado e encaminhado para a Central de Flagrantes, onde o crime foi registrado.

A Polícia Judiciária Civil (PJC) passa a investigar a participação de outros bandidos, que não foram presos, no assalto.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *