https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2019/11/edson.jpg

PREVENTIVA

Agente penitenciário acusado de torturar mulher e enteado tem prisão preventiva decretada

Reprodução

O agente penitenciário Edson Batista Alves, de 35 anos, teve a prisão preventiva decretada pela Justiça, nesta quinta-feira (21). Ele é acusado de torturar a mulher e o enteado de 6 anos, e mantê-los em cárcere privado.

Edson deve ser encaminhado para o presídio de Santo Antônio de Leverger (a 35 km de Cuiabá).

Enquanto agente penitenciário, o suspeito trabalhava no Setor de Operações Especiais (SOE), mas estava afastado do trabalho por violência doméstica e era monitorado por tornozeleira eletrônica.

O caso

As vítimas se mudaram de Rondonópolis (218 km da capital) e, há duas semanas, estavam na casa de Edson. Desde então, segundo a mulher, ela e o filho eram mantidos em cárcere privado.

De acordo com a mulher, além de socos e chutes, ela e o filho eram espancados com fio de carregador, cabo de vassoura e até queimadas com água quente.

A criança afirmou à polícia que o acusado chegou a colocar a cabeça da mãe na privada durante as agressões.

O menino ainda disse que fingia estar dormindo quando a mãe era espancada. No entanto, o padrasto percebeu que ele estava acordado e o espancou também.

Durante a agressão, o menino teve o braço quebrado.

As vítimas conseguiram fugir durante um jantar na casa de amigos, enquanto o suspeito foi ao banheiro.

Segundo a Polícia, a mulher contou que era constantemente ameaçada. E o suspeito dizia que mataria o menino caso ela fugisse.

Ainda segundo a Polícia Militar, o suspeito ficou rondando a delegacia com o objetivo de cercar a vítima. Mas, os policiais o prenderam.

Edson deve responder pelos crimes de agressão, cárcere privado, lesão corporal e sequestro.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 22 de novembro de 2019 às 16:10:29