https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2021/03/SD.jpg

DE CHAPÉU NA MÃO

Prefeito Zé Carlos do Pátio tenta reaver a presidência do SD

Foto AgoraMT

A informação é de que esta terça-feira (02), será decisiva para o prefeito de Rondonópolis, José Carlos do Pátio dentro de seu partido, o Solidariedade.
Nas primeiras horas do dia ele deve seguir viagem com destino à Brasília (DF), onde pretende conversar com o presidente do Diretório Nacional de seu partido, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força.
A pauta a ser tratada entre José Carlos do Pátio, que até poucos dias presidia a sigla partidária no estado de Mato Grosso e o presidente Nacional do SD, é justamente a saída repentina do prefeito de Rondonópolis imposta pelo líder maior da agremiação.
Zé Carlos do pátio esteve à frente de seu partido no estado por 6 anos, e na última semana do mês passado foi substituído, sem aviso prévio, pelo deputado federal Dr. Leonardo Albuquerque.
O presidente destituído pretende com essa visita reverter a situação, mas há quem diga que o partido está firme na decisão tomada. Não está certo sequer se o prefeito vai ser atendido por Paulinho da Força, mas não custa tentar.
Fontes internas do SD garantem que a decisão do Diretório Nacional, em destituir Zé Carlos do Pátio da presidência do partido no estado de Mato Grosso, estaria diretamente ligada ao comportamento de Zé Carlos no último pleito eleitoral.
Todos sabem que José Carlos do Pátio foi candidato à reeleição pela prefeitura de Rondonópolis, conseguiu esse resultado nas urnas, porém não respeitou a fidelidade partidária e o compromisso com os aliados.

CUSPIU NO PRATO  EM QUE COMEU
Um dos que se sentiram traídos pelo “amigo” José Carlos do Pátio foi o mais recente correligionário Pedro Taques, que no ano passado abandonou o ninho tucano e migrou para o partido de Zé Carlos.
Todos sabem que durante o período em que o Taques governou o estado de Mato Grosso (2015/2019), estabeleceu-se uma relação muito estreita entre o governador e o prefeito José Carlos do Pátio, e o mínimo que se esperava seria o apoio de Pátio à candidatura de Taques de volta ao Senado, mas isso não aconteceu. Nas eleições suplementares do ano passado, José Carlos do Pátio apoiou Carlos Fávaro (PSD), ao Senado Federal, ele que já ocupava uma cadeira no parlamento, agora terá mais 6 anos de mandato.
Comenta-se que Taques teria ficado ainda mais contrariado diante desse posicionamento do amigo José Carlos do Pátio porque ele, Taques, teria migrado para o Solidariedade justamente porque esperava contar com esse tipo de apoio à sua candidatura.

MAIS TRAIÇÃO
Outro personagem dessa história que se sentiu traído foi o deputado federal Dr. Leonardo Albuquerque, hoje presidente do SD/MT, que também não recebeu apoio do correligionário e amigo José Carlos do Pátio.
Na verdade o prefeito reeleito se preocupou bastante com o seu próprio pleito em detrimento da campanha dos amigos.
Diante de todo esse quadro que se formou em torno do prefeito de Rondonópolis, ganhando inclusive nos corredores do Solidariedade a fama de traidor, é que os cientistas políticos entendem que o espaço de José Carlos do Pátio dentro da atual sigla partidária é quase nulo.
Agora é esperar para ver se Paulinho da Força volta atrás em sua decisão e reconduz Zé Carlos do Pátio à presidência do partido no estado, ou se deixa o caminho livre para ele seguir.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 1 de março de 2021 às 17:43:33