https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2021/08/e78f3a240a8102b37c3aa2d9a1eb8990-1.jpg

ASSASSINATO

Delegado diz que manicure foi o elo de ligação no crime

Jad Laranjeira/MidiaNews

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), cumpriu na manhã desta sexta-feira (27), mais três ordens judiciais na terceira fase da Operação Capciosa.

Sendo um de prisão e dois de busca e apreensão, têm a finalidade de dar continuidade as investigações que apuram a morte do empresário Toni da Silva Flor.

LEIA: Delegado diz que mulher encomendou morte do marido por R$ 60 mil

De acordo com o delegado da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa de Cuiabá (DHPP), Marcel Oliveira, durante a operação, foi realizada a prisão da manicure identificada apenas como Ediane, acusada de ter sido a responsável em passar o contato dos executores a mandante do crime, Ana Claudia.

“Durante as investigações, uma coisa não se encaixava. Como Ana Claudia, suposta mandante, teria chegado aos supostos executores, os investigados de serem os executores do crime, o Igor, Diellington e Wellington. Então, faltava uma peça para encaixar essas pessoas, e essa peça foi presa hoje. A Ediane foi justamente o elo de ligação entre a suposta mandante, Ana Claudia e os suspostos executores “, disse o delegado.

Ainda segundo as investigações realizadas, além de ser amiga e manicure de Ana Cláudia,  Ediane era irmã do suposto amante da mandante do crime.

“Essa intermediária falou que era manicure, que exercia outros trabalhos para Ana Cláudia, e seria amiga de Ana Cláudia. Ela conheceu Ana Cláudia através do irmão dela, que seria amante de Ana Cláudia e manteve um relacionamento por 2 anos com Ana Cláudia e inclusive afirmou que esse relacionamento aconteceu enquanto Ana Cláudia era casada com o Toni”, finalizou.

LEIA: Esposa de empresário morto na academia nega ser mandante

Segunda Fase

A segunda fase da operação foi realizada no dia 19 de agosto, ocasião em que foram cumpridos cinco mandados de busca e apreensão e três mandados de prisão, um deles contra a esposa da vítima apontada como mandante do crime.

O CASO

O crime ocorreu no dia 11 de agosto, no momento em que a vítima chegava à academia, no bairro Santa Marta em Cuiabá.

O suspeito estava em frente ao estabelecimento, de cabeça baixa, e perguntou pelo nome da vítima, que quando foi responder foi alvejada por diversos disparos.

A vítima correu para o interior da academia, sendo socorrida e encaminhada para o Pronto Socorro Municipal, com quatro ferimentos de arma de fogo.

Toni chegou ao hospital consciente, sendo encaminhado imediatamente para cirurgia, porém não resistiu aos ferimentos e morreu dois dias depois.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 28 de agosto de 2021 às 14:58:56